AMOR À VIDA extremamente didática em capítulo revelador

Extremamente estranha essa novela Amor à Vida. É melhor que Salve Jorge, mas não em todos os sentidos. Glória Perez ao menos não abusa de didatismo para contar suas histórias. Após a revelação de Edith os personagens de Walcyr Carrasco pareciam repetir textos de livros do ensino fundamental que tratavam sobre homossexualidade. Ou isso ou leram a Capricho, tão na moda por conta da blogueira sissi.

Era mais um momento imperdível da produção mas, pra variar, Carrasco ficou devendo com todo o seu tatibitati. Ainda assim, Mateus Solano, Bárbara Paz, Antonio Fagundes, Nathália Timberg, Susana Vieira, Rosamaria Murtinho e Paolla Oliveira tiraram leite de pedra. Walcyr não lembra em nada o autor dos primeiros capítulos, aqueles sim verdadeiramente excelentes. Será que não foi outra pessoa que os escreveu? #duvida

E tem mais: mesmo Amor à Vida tendo cara de Zorra Total quando se trata de Valdirene, Perséfone e até mesmo Félix, por causa de tanta repetição, ainda assim Tatá Werneck segue como um achado.

O capítulo pode estar o ó do borogodó, mas é só Valdirene entrar em cena para a produção ganhar outras cores. Tem meu respeito!

No mais, ao menos a novela reabre a discussão sobre como a sociedade lida com os gays. No quesito texto inteligente, no entanto, Sangue Bom e Saramandaia, mesmo com audiências não muito animadoras, sambam em Amor à Vida!

Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

5 comentários :

  1. Eu fiquei constrangida com o didatismo do texto. A iniciativa de tratar do tema é louvável, mas não precisava daquele texto. Fiquei com vergonha quando Pilar foi falar com César, que não aceita o filho e disse: "você não ouviu falar em casamento gay?". Sério, num momento tenso daquele alguém falaria isso? Rsrsrsrs

    ResponderExcluir
  2. Tbm achei terrível o texto!!! Pilar e Bernardo repetiram o texto mais de uma vez. Uma pena.
    É isso que eu sempre falo, não precisa entrar nessa guerra do tal beijo gay, pra acabar com o preconceito são cenas assim que precisa passar para mexer e mostrar para a sociedade o que é.
    Ligia M. e M.A.A mereciam escrever essas cenas. Pra mim só as duas tem a sensibilidade de emocionar e provocar com seus textos.
    Uma cena dessa com todo o peso que é não emocionou mas mostrou uma realidade.

    Tata merece cair nas mãos de Amora M. e Ricardo W. pelo seu improviso. Walcyr com essa palhaçada que não colocar cacos no texto só perde.

    ResponderExcluir
  3. Vou comentar uma coisa que reparei ontem.. A Valdirene prestes a invadir o camarim do Aviões do Forró, mas dessa vez ela estava com sua mãe que lhe ensinava onde era o camarim.. Ué? E das outras vezes ela não pensava em tudo sozinha? De repente precisa do auxílio da mãe.

    Assistir Amor à Vida pra mim passou longe de relaxar, pelo contrário, fico estressado ao perceber os defeitos em uma produção que custa milhões..
    Com o mesmo valor de produção fizeram Avenida Brasil, A Favorita, entre outras, em que os defeitos eram até aceitáveis. Não vou contribuir para o pagamento de uma produção tão ruim.

    ResponderExcluir
  4. Agora imaginem uma novela com Tatá Werneck, Marcelo Adnet e Dani Calabresa, todos com liberdade de jogar cacos no texto? KKKKKK

    Abre o olho JEC, você que sempre fica devendo na parte de comédia em suas tramas poderia investir nisso.

    ResponderExcluir

.