O que aconteceu com a Rede TV?


Há apenas 14 anos entrava no ar a Rede TV que chegava com uma proposta diferenciada para a televisão aberta brasileira apostando num entretenimento que em muito lembrava as emissoras por assinatura ou mesmo os canais americanos. Fazendo um retrospecto, ela era de todas as emissoras abertas da época a que oferecia a programação mais seletiva, o que a tornava superior em qualidade de conteúdo. 

Interligado – programa de clipes que revelou Fernanda Lima como apresentadora, e o primeiro do gênero que apostava na interatividade com o telespectador numa época que a internet no país estava engatinhando. Com o tempo ele trocou de apresentadora (Fabiana Saba), e alterou seu formato para Interligado Love (num formato menos criativo e visivelmente inspirado no Fica Comigo de Fernanda Lima, exibido pela MTV), e depois se transformou no Interligado Games onde saiu a interação, e restou uma disputa boba nos moldes do finado Passa ou Repassa.

TV Fama – Muito diferente da revista de fofoca inspirada no E! que é o que vemos hoje em dia, o TV Fama era apresentado por Paulo Bonfá e Monique Evans, e contava com Otávio Mesquita e Mariana Kupfer como repórteres. A intenção do programa era mostrar os bastidores dos filmes, séries e novelas, e trazer curiosidades para o público. O formato começou a morrer a partir do momento da saída de todos os nomes citados acima, que um a um foram indo embora.

Superpop – Inicialmente apresentado por Adriane Galisteu, era um programa de variedades e bate papo, com atrações musicais, e um clima bastante divertido que levava o telespectador da época a fugir das novelas das 21 horas. Com a saída da apresentadora, e troca de diretores, o programa também teve seu foco alterado, assim como seu horário, investiu em temas popularescos, e até grotescos para atrair uma audiência diferente.

Séries – Diferente de todas as emissoras, a Rede TV queria escrever história na televisão nacional sem a presença de novelas e produções próprias (até mesmo devido ao custo) e recorreu à memória afetiva de seu público com a exibição de Jeannie é um gênio e A Feiticeira de segunda a sexta e aos sábados era exibido Friends.

Filmes – Sim, a emissora tinha horários destinados a filmes. O principal horário, no domingo à tarde exibia filmes clássicos comentados pelo crítico de cinema Rubens Ewald Filho.

Infantil – Indo na contramão de todas as demais emissoras que focavam sua programação infantil no horário da manhã, a Rede TV fez diferente e quis para suas crianças um horário vespertino. Às 5 da tarde começava o Galera da TV, programa nos moldes de Bambuluá, que contava com ex-paquita Andrea Sorvetão como âncora e personagem principal de uma lanchonete onde crianças costumavam freqüentar. O programa não durou muito já que a reestruturação de Malhação (que se transformou em Múltipla Escolha) na mesma época alavancou a audiência da Globo no horário.

Esportes/ Jornalismo – A emissora contava com os programas Bola na Rede apresentado por Juca kfouri no formato de uma mesa redonda para se falar de forma descontraída sobre futebol. Dentre os jornalísticos se destacam o matutino Brasil TV, e o RTV. Ambos contavam com matérias locais, coisa que a emissora não costuma fazer mais.

Saídas de apresentadores, inúmeros processos por parte de artistas e marcas. A Rede TV se modificou, retirou do ar as séries, e teve seu único êxito em novelas exibindo a colombiana Betty, a feia, esticada à exaustão por quase 1 ano. Tentou emplacar uma adaptação da série americana Desperate Housewives (Donas de casa desesperadas) em parceria com uma emissora argentina e foi um verdadeiro Flop. 

Com a alteração de sua grade e conseguindo um número (ainda baixo, mas bom para a emissora) de audiência somente nas atrações com teor sexual (Te Vi na TV/ Noite Afora) a impressão que fica é que toda a grade se moldou a fim de levar ao público atrações relacionadas ao sexo, e não da forma explicativa como Jairo Bouer fazia na mesma época na MTV e sim com a exibição de corpos, strips e matérias em que termos chulos eram ditos o tempo todo. 

O tom popularesco predominou em toda a programação, saíram os filmes, o TV Fama virou um programa de fofocas, as crianças perderam espaço e pelo menos 20 programas foram colocados e tirados do ar em meses. Pela Rede TV passaram Luisa Mell, Latino, Clodovil Hernandes, Luiz Gasparetto, Marília Gabriela, Marcelo Rezende Faa Morena entre outros. O que antes os críticos chamavam de a salvação da TV brasileira, logo se transformou num verdadeiro pesadelo, onde a criatividade de outrora deu lugar a programas de gosto duvidoso. A pergunta que fica é: Valeu a pena em termos de audiência?

* João Paulo Reis

Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

4 comentários :

  1. Oi João Paulo!

    De tudo que a RedeTV já exibiu, o que mais gostei foi da época do Clodovil no A Casa é Sua. O Clô elevou o nível da emissora, propondo pautas excelentes para o horário vespertino que ficava só na fofoca e na violência gratuita. O programa dele foi a última boa produção da RedeTV para o horário vespertino.

    A pior coisa que a emissora fez foi ter demitido ele, muito em função das verdades que ele falava em relação ao Pânico e as namoradas dos donos da emissora na época.

    Para mim, o A Casa é Sua com a gestão do Clodovil foi um marco para a RedeTV, assim como a Sônia Abrão foi para o programa no início. Imprimiram identidade e conteúdo. Infelizmente, hoje a Sônia faz um programa que nada lembra daquilo que ela já fez no início.

    No mais, parabéns pelo texto. É triste constatar como a RedeTV se perdeu no decorrer dos anos.

    Abraço,

    http://www.cafecomnoticias.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. eu pensava que estava sozinho neste mundo (em relação a gosto televisivo). realmente, o programa de Clodovil foi um marco na tv brasileira. ele levava ótimos entrevistados, tinha uma pauta bastante interessante, enfim, acabaram optando pelos rapazes do panico na tv e o Clodovil foi para o planalto central, onde acabou morrendo de um avc, talvez até pela pirraça dos nossos "nobres" parlamentares...

      Excluir
    2. eu também adorava o A Casa é Sua com o Clodovil, mas isso antes dos surtos dele com o Pânico

      Excluir
  2. A única coisa que ainda se salva na rede tv,por incrível que pareça é o 'tv fama',que consegue ser melhor do que o 'vídeo show'.Acho que ela deveria investir em séries 'enlatadas',que várias vezes já disse,são muito mais baratas do que as produções nacionais e o retorno de audiencia e bem melhor.

    ResponderExcluir

.