Fracasso de “Além do Horizonte” é culpa da própria Globo


A Globo resolveu, desde “Sangue Bom”, que as novelas das sete devem ter ares de “Malhação”, com elenco predominantemente jovem e alguns poucos veteranos. Não deu certo na novela anterior, afinal, Giulia Gam, Marisa Orth e cia acabaram roubando a cena.

Em “Além do Horizonte” ocorre ainda pior, pois, além de jovem, o elenco é formado por muitos novatos. Isso não seria problema caso estivéssemos falando de estreantes com talento, como é o caso do ator-mirim JP Rufino, um dos destaques da produção.

A mesma avaliação não cabe ao ator Vinícius Tardio, cujo desempenho até aqui tem sido muito fraco e aquém do esperado para um dos protagonistas da história. E olha que o diretor Ricardo Waddington havia dispensado Fiuk, o que deu a sensação de que, ufa!, estavam buscando profissionais melhor preparados para o folhetim.

Mas o problema é relacionado apenas aos novatos? Não, Thiago Rodrigues já esteve em diversas produções, sendo protagonista em muitas ocasiões e, até hoje, ainda não disse a que veio. Parece estar sempre fazendo a mesma coisa e, pra ajudar, não tira a barba. Não existe nem uma mudança no visual pra dar um ar diferente.

Rodrigo Simas vai pelo mesmo caminho, bem inferior ao seu irmão, Bruno Gissoni, que convenceu em “Avenida Brasil” e “Flor do Caribe”. É possível destacar, no entanto, dentre os rostos não tão conhecidos, os trabalhos de Igor Angelkorte, Yanna Lavigne, Luciana Paes e Mariana Xavier. O núcleo das três últimas, aliás, deveria ser mais explorado. Rende.

Além de tudo isso, não existe liga entre Flávia Alessandra e Alexandre Borges. Num capítulo recente, a novela repetiu diversas vezes a cena em que seus personagens se declaravam apaixonados. Insuportável define, entretanto, cabe um porém: Maria Luiza Mendonça ’engole’ os dois e também poderia ser mais explorada.

Com relação ao roteiro, não vejo “Além do Horizonte” como uma novela ruim, entretanto, sempre digo que  uma produção diferente resulta de um bom texto, somado a elenco e direção afiados. Com parte dos atores não convencendo, fica difícil.

A história tem potencial, mas se a Globo não intervir, além do maior fracasso de audiência de sua história, a emissora terá outro problema a partir de fevereiro, quando estreia “Em Família” – com a novela das sete entregando em baixa para o “Jornal Nacional”, isso vai dificultar a vida do lançamento. A conferir.

Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

2 comentários :

  1. A culpa é totalmente da globo,por não ver o script da novela antes e ver que a história seria um fracasso,como aconteceu com outras novelas como:'tempos modernos' e 'as tres irmãs'.Mas acho que ela fez isso por se tratar de uma 'novela de verão' que deve ser curta.

    ResponderExcluir
  2. Eles não aprendem nunca! Vai ter uma próxima, com certeza, com outra ideia de jerico com ares de modernidade, originalidade ou experimentalismo. Quando você pensa "bom, essa foi a última novela das 7 fracassada, acho que eles aprenderam a lição", aparece outra coisa lamentável...

    ResponderExcluir

.