Quando uma série se mostra incrível já no primeiro episódio


Estava analisando a quantidade de episódios de "A Sete Palmos" e acabei concluindo que, daqui até fevereiro, quando estreia "Em Família", tenho tempo suficiente para assistir a série, caso assista ao menos um episódio por dia.

Pensando nisso, baixei o piloto e o segundo episódio. Gostei tanto, que fiquei aliviado por ter feito isso, pois vi os dois em sequência. Surpreso, também, por me deparar com atores que conheci em outras produções.

Peter Krause, de "Parenthood"; Rachel Griffiths da amada e inesquecível "Brothers & Sisters" e Michael C. Hall, de "Dexter". O último caso ainda mais surpreendente, porque o personagem do cara transa e beija um homem. E beija MESMO.

Fico imaginando como o Brasil é patético. Se o ator faz algo assim por aqui, ficam a vida toda tratando sobre o assunto. E nunca, nunca mesmo li uma vírgula sobre o Michael a esse respeito. 

O que eu mais gostei foi a agilidade,  a forma como tudo acontece rapidamente, com viajadas na maionese dos personagens ou um desespero extremamente evidente em certas situações - neste caso, com direito a alguns shows de Frances Conroy.

Já tenho certeza que super acertei ao optar pro vê-la agora, e não em julho do ano que vem. 

:* O que é Sandrah Oh como uma atriz pornô loira? OMG!

Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

2 comentários :

  1. Essa série é genial, tem simplesmente o melhor series finale de todas as séries que eu já vi na minha vida. Vale muita a pena!

    ResponderExcluir

.