"Amor à vida" sairá de cena com dever cumprido


Amor à vida, mesmo não sendo uma unanimidade, no geral, agradou. Os números provam. A novela conseguiu aumentar  entre um e dois pontos a audiência do horário se comparada com sua antecessora, Salve Jorge. Pode não parecer muita coisa, mas é. Jóia rara e Além do horizonte derrubaram a audiência de seus respectivos horários, que já não era alta.

Mas mesmo tendo uma audiência boa, Amor à vida não será lembrada como uma novela primorosa. O texto do Walcyr Carrasco casa melhor com o horário das seis e o das sete.  Ele sabe como ninguém criar situações, ganchos, que prendem o telespectador. Ninguém pode acusá-lo de escrever novelas monótonas. Sabe misturar bem drama e comédia, mas pisa na jaca quando o assunto é realismo. 

É nítida a tentativa de ser realista porque o horário das nove pede, mas nem sempre ele consegue porque, em alguns casos, tudo é exagerado e às vezes a comédia entra onde não deveria entrar. Um exemplo: Perséfone. O drama da personagem que era rejeitada pelos homens por ser gordinha, que poderia ter sido retratado de forma realista, virou mais um quadro do Zorra total. Por outro lado, no caso do Félix e dos gays, ele conseguiu retratar com realismo e dosar bem a comédia. Nesse caso, o Walcyr conseguiu até um feito: angariar forte torcida para o casal Félix e Nico. 

No caso do autismo também conseguiu retratar com muita seriedade e de forma sublime através da personagem Linda. Já os pontos fracos foram personagens com histórias repetitivas e chatas como Michel e Patrícia, as constantes mudanças de personalidade de alguns personagens, como o Ninho. Já um ponto forte da novela foi sua trama central, sempre muito movimentada, cheia de acontecimentos que bizarros ou não conseguiam chamar atenção do público.

Por fim, Amor à vida foi uma novela de altos e baixos como relatado acima. Momentos muito bons e momentos críticos, até irritantes, mas temos que dar um desconto porque a novela foi esticada. Será maior que as anteriores em número de capítulos e o próprio capítulo está enorme. Há dias em que parece um longa metragem de tão grande. Não é fácil preencher tanto tempo. 

Amor à vida terminará agradando à emissora e boa parte dos telespectadores, por isso terá cumprido seu papel. Walcyr Carrasco descansará um pouquinho para voltar em 2015 com uma nova novelasó que às seis, horário que está precisando de uma trama dele. Em seguida, provavelmente em 2016 ou 2017, volta para às nove. A esperança é que Amor à vida tenha servido de lição e que nessa próxima experiência no horário ele saiba corrigir os erros cometidos e criar uma novela mais linear, mais crível, mas isso ainda vai demorar muito. Primeiro virá a das seis que ele sabe escrever como ninguém. Fico por aqui. Um abraço a todos e até a próxima.   

* Gilmar Moraes

Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários :

Postar um comentário

.