Depois de um ano tenebroso, o que esperar de 2014 na TV?


2013 foi um ano horrível para a TV brasileira, e já discutimos isso aqui na coluna. Pouca coisa se salvou e, no caso, mesmo o forte do Brasil, que são as novelas, foram abaixo da média. Não tivemos nenhum sucesso de audiência ou uma produção que tivesse bons índices e, ao mesmo tempo, aceitação junto à crítica.

Na verdade, teve “Amor à Vida” que estancou um pouco a queda do horário, após a fracassada “Salve Jorge”. Tirando isso, as demais produções derrubaram os índices das novelas anteriores, tanto na Globo, quanto na Record e SBT.

Muitos, inclusive a coluna, veem alguma esperança em “Em Família”, de Manoel Carlos, com seus textos incríveis e, dessa vez, com o folhetim entrando no ar com frente de capítulos. Também quando se trata de “Geração Brasil”, afinal, os autores têm crédito, e “Meu Pedacinho de Chão”: os remakes de Benedito Ruy Barbosa sempre cativam o público.

No campo dos programas, prevejo que o “Sabe ou Não Sabe” não vai durar na faixa da tarde, assim como o “Muito+”, afinal, o horário é ruim. Não espero muita coisa da estreia de Sabrina Sato na Record, enquanto, no SBT, ainda está todo mundo com pé atrás com relação ao novo talk show de Danilo Gentili. Mas deve fazer sucesso.

Não acredito que a TV vai sair do mais do mesmo no segmento. Pode surpreender, no entanto, a nova temporada do “Aprendiz” com celebridades. De repente, se fizerem direito, pode repercutir positivamente nas redes sociais, como acontece com outros formatos do tipo, como “Mulheres Ricas” e “A Fazenda”.

A verdade, no final das contas, é que em nosso país tudo gira em torno de novelas. Se as novelas bombam, os artistas participam de diversas atrações e rendem audiência. Assim como para as produções que entram na sequência, na linha de shows. Ou para os telejornais.

Uma novela de sucesso é capaz de aumentar e muito os resultados de um canal. Por isso, minhas fichas estão depositadas nas três novelas destacadas. No caso da Record, “Vitória” pode salvar a vida da emissora e, é bom lembrar, Cristianne Fridman nunca decepcionou.

Pode estar nas mãos da autora a retomada dos bons resultados do passado, depois de um período com quatro novelas abaixo da média. Marcelo Silva, atual poderoso do canal, bom destacar, deu um upgrade na Casa, que terminou 2013 com a grade estável e com mais qualidade na programação, algo impensável no início do ano passado.

Bom lembrar que, assim como a Globo, a Record terá diversas séries em 2014. Dentre elas, a nova temporada de “A Lei e o Crime”, “Conselho Tutelar” e a que for escolhida dentre os especiais exibidos – a coluna torce por “Tá Tudo Em Casa”, mas, se investirem, “A Nova Família Trapo” pode ser uma boa opção. Na Globo, aguardo com ansiedade “A Segunda Dama”, que terá humor, mas serão muitas novidades, como “A Teia” e “O Caçador”.

Em se tratando de SBT, Band e RedeTV!, bom sentar numa poltrona e esperar. Os três canais erraram muito, sendo que os dois primeiros apostaram em reprises e enlatados enquanto a outra focou no sensacionalismo.

Resumo da ópera: nem o melhor vidente, se é que ele existe, conseguiria definir como serão os próximos 365 dias do veículo.

Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

3 comentários :

  1. Pode crer. Novela no Brasil deve mexer até com a Bolsa. Nunca tinha considerado isso, mas quando a novela vai mal um monte de dinheiro deixa de entrar no bolso dos atores que não chamados pra comerciais e festinhas de debutantes.

    ResponderExcluir
  2. Eu acho que 2014 será um bom ano para as novelas, o fim de "Amor À Vida" já é um grande ponto positivo rs. Torço muito para que Maneco encerre sua carreira com uma novela maravilhosa e que consiga levantar a audiência do horário, com pelo menos 37 de média geral.
    Como "Meu Pedacinho de Chão" será uma novela curta, não dará tempo pra ela ficar arrastada e com aquelas barrigas enormes como acontece com quase todas as novelas do autor. Mais um ponto positivo. Torço para que o português Rui Vilhena também faça um trabalho digno pro horário.
    "Geração Brasil" parece ser uma novela divertida e com um forte elenco chegando por aí, com certeza "Além do Horizonte" não deixará saudades. Tomara que Daniel Ortiz também faça um bom trabalho com a sinopse da saudosa Andréa Maltarolli.
    E Aguinaldo é Aguinaldo, só torço pra ele não trazer uma nova "Fina Estampa".
    Christiane Fridmann é outra que deve conseguir levantar a audiência da Record, já que suas novelas são bem inteligentes e instigantes. Tomara que "Vitória" seja tão boa quanto "Chamas da Vida".
    Bom, o ano começou bem com a maravilhosa "O Tempo e o Vento" e deve melhorar ainda mais com a estréia de "Amores Roubados", " A Teia" e "O Caçador". A segunda temporada de "A Lei e o Crime" também promete, há tempos aguardo por isso, já que a primeira foi excelente.

    Feliz 2014!

    ResponderExcluir
  3. Se em 2013 a programação das emissoras deixou muito a desejar,imagina 2014 que vai ser um ano complicado c/ copa do mundo e eleições.

    ResponderExcluir

.