Novela bíblica é um tiro no escuro


Sempre fui defensor de que, para se fazer novelas fora da Globo, tem que se achar uma identidade própria. Com a Manchete foi assim, suas novelas atraiam atenção justamente por serem diferentes, mais ousadas que as da Globo. Já o SBT desde o início procurou ser diferente da Globo exibindo e fazendo novelas inspiradas nas mexicanas, que também atraíram olhares e até hoje são uma marca do canal. A Record também marcou território com novelas diferentes como Os Mutantes, Vidas Opostas, Poder Paralelo, mas pelos desmandos da emissora suas tramas foram perdendo a força e agora querem focar em novelas bíblicas, o que ao meu ver é o caminho mais fácil, mas não o mais correto a se seguir.

Não é porque minisséries bíblicas foram bem que as novelas com o mesmo tema também seguirão o mesmo caminho. São dois produtos distintos. As minisséries sempre foram exibidas 1, 2 vezes por semana e a maior delas terminou na casa dos 30 capítulos. Dificilmente farão uma novela com menos de 100, devido aos gastos que elas demandam. Não é tão fácil contar uma história restrita, já conhecida, como são as bíblicas, em tantos capítulos. A primeira novela, até pela curiosidade do público, deve dar um bom resultado, mas e depois? Diante de tantas minisséries já feitas, de tantas histórias já contadas, será que terão temas novos para serem explorados dentro do campo bíblico?

A audiência da série atual, Milagres de Jesus, está entre 8 e 10 pontos, enquanto as primeiras produções rendiam mais de 15. Não seria melhor encontrar um caminho para a teledramaturgia convencional da emissora? Investir, por exemplo, em divulgação dentro da própria programação, tornando assim suas novelas e seus atores mais conhecidos de seu próprio público? Encontrar um horário fixo também ajudaria muito. Vejo essa aposta em tramas bíblicas como um tiro no escuro, mas não é uma conclusão definitiva porque o público tem suas peculiaridades e, muitas vezes, o que pensamos que não irá funcionar é justamente o que funciona. Vamos aguardar.  Fico por aqui, um abraço a todos e até a próxima.

* Gilmar Moraes

Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

2 comentários :

  1. Eu acredito nas minisseries biblicas quem sabe depois delas eles não investem em outras tramas de época e com outros periodos.
    Ass Cláudia Taissa

    ResponderExcluir
  2. Na minha opinião os filmes bíblicos funcionam mais do que as mini-séries,porque são feito por atores internacionais consagrados,além disso os cenários são melhor qualidade.

    ResponderExcluir

.