"Conquistei meu espaço por merecimento e não por ser filha", crava Silvia Abravanel


Silvia Abravanel Pedroso de Abreu é filha de Silvio Santos e uma das diretoras do SBT, canal onde começou a estagiar aos 16 anos sob os olhares do pai e onde atua até hoje. Chegou a comandar duas atrações, o "Casos da Vida Real" (2004) e o "Programa Cor de Rosa" (2006).

No entanto, em entrevista exclusiva ao RD1, a profissional revela que desde sempre sua meta era ser diretora na emissora. Deu início a este trabalho com o próprio pai, no "Roda a Roda" em 2005, tendo passado também pelo "Vamos Brincar de Forca", que substituiu o formato em 2012.

Mas foi com as crianças que Silvia se encontrou. Responsável pelo núcleo infantil da Casa, já trabalhou com Maísa Silva, quando a pequena dava trabalho à Xuxa Meneguel enquanto apresentadora do "Sábado Animado" e, atualmente, além do semanal, Silvia Abravanel lidera o "Bom Dia & Cia", principal infantil do canal.

A seguir, ela comenta os planos para o futuro, trata sobre a guerra de audiência e as dificuldades enfrentadas para colocar um programa para crianças no ar, diante da mudança das leis e regras que também são impostas pelo SBT.

Confira a entrevista:

RD1 - Frequentemente o noticiário aponta para o final do "Bom Dia & Cia". Como lida com essas previsões?

Silvia Abravanel - (Risos) O noticiário tem, na verdade, anunciado o fim dos infantis e não apenas do "Bom dia & Cia" precisamente, pelas novas leis que estão sendo implantadas sobre crianças e trabalho. A maneira com que estou lidando com isso é tranquila, pois estou cumprindo com todas as normas, regras e leis que a mim são impostas tanto pelo Ministério Público, quanto pelo SBT e pelos órgãos de proteção à criança. Continuarei trabalhando com as minhas crianças e levando diversão para crianças até segunda ordem, que pode ser amanhã como pode ser daqui um ano — como pode não ser .

RD1 - As pesquisas indicam que o futuro da TV está em programas ao vivo e o SBT também está investindo em jornalismo em tempo real durante as manhãs. De que forma acredita que os infantis vão sobreviver nessa nova realidade?

Silvia Abravanel - Já somos um programa ao vivo há muito tempo, então já sabemos como fazer televisão em tempo real, inclusive, por muitas vezes, até ajudando o jornal quando tem algum link ao vivo que precisamos mostrar! Nosso programa vai ao ar de segunda a sexta, das 9h até 12h45, sendo que até às 11h30 ele é inteiro ao vivo, com os intervalos de 20 minutos para os desenhos.

RD1 - Você sente falta de estar em frente às câmeras ou acredita que trabalhar como diretora te satisfaz como profissional?

Silvia Abravanel - (Risos) Não sinto falta, não. A experiência que tive foi muito válida pra mim como profissional, pois sou da opinião que em TV, se você tem a oportunidade de fazer de tudo para aprimorar sua carreira, faça, e eu fiz. Mas sempre, desde os meus 16 anos, quando iniciei o trabalho com meu pai, tinha a pretensão de dirigi-lo e então trilhei meu caminho pra isso com muita perseverança, força de vontade, nada de regalias, com interesse em sempre querer aprender mais e mais. Muitas pessoas não sabem, mas sou formada em medicina veterinária e, então, tudo que aprendi foi com meus colegas de profissão e meus mestres —assim que chamo os profissionais que nunca tiveram medo de me ensinar o que sabiam. Alguns nomes Wilson (Jaburu), Luiz Bento, meu primeiro diretor no programa "Qual é a Música", e por ai vai! Hoje posso dizer que estou muito feliz com meu trabalho e realizada demais, formando até novos diretores na minha equipe, pois um dia alguém me deu uma chance de ser uma boa profissional na televisão:  meu maior mestre, meu pai! Hoje faço isso pela minha equipe: são formados, se esforçaram na faculdade e merecem toda ajuda que eu puder dar para que eles também se realizem profissionalmente.

RD1 - Qual o maior concorrente da atualidade, os demais canais abertos ou o avanço dos infantis em sinal fechado?

Silvia Abravanel - O maior concorrente é o controle remoto do pai ou mãe que quer assistir outros programas no mesmo horário que o nosso infantil. Falo isso porque, baseado em pesquisas, muitas crianças ainda não têm acesso à TV fechada! E também muito conteúdo que é exibido nos canais fechados, temos aqui no SBT na nossa grade de desenhos!

RD1 - O Brasil terá um novo instituto medindo audiências. Qual sua expectativa? Acredita que com concorrência, teremos uma aferição mais confiável?

Silvia Abravanel - Ah, com certeza teremos sim! O que será muito bom para todos essa nova medição de audiência e vamos torcer para dar certo!

RD1 - Você é uma diretora que fica ligada nos números de audiência? Como lida com as oscilações diárias?

Silvia Abravanel - Que diretor que não fica ligado em números de audiência? Mas vou lhes contar um segredo: o meu maior número de audiência é meu público fiel que me dá dicas, me dá broncas quando não consigo algo que eles querem muito, mas que não depende só de mim. São as crianças e principalmente os pais, pois, se o nosso programa está indo bem, é porque está agradando aos pais em casa que estão me “apoiando” na programação infantil do SBT. Com muita diversificação na TV, a oscilação de números — vide zapeadores — não me causa nenhum problema porque os números que permanecem são o nosso público fiel, ao qual agradeço imensamente.

RD1 - O SBT testou novos infantis nos últimos tempos, como a volta do Bozo e o "Clube do Carrossel", que não duraram, enquanto formatos dramatúrgicos se distanciaram da concorrência. Isso significa que novelas estão fidelizando mais que desenhos?

Silvia Abravanel - Na verdade, são dois pólos diferentes. Novelas têm segmentos e estão num horário à noite quando as crianças todas já estão em casa. E também, as novelas infanto-juvenis se aproximam mais da realidade que as crianças estão vivendo hoje em dia. Nosso infantil pega uma faixa de horário em que muitas crianças estão na escola e, atualmente, com a entrada de internet e TV a cabo, nossas crianças estão deixando de serem crianças muito cedo e perdendo o interesse por “coisas de criança'' como palhaços, desenhos, brincadeiras infantis e outras coisas mais que as crianças do passado tinham interesse. As crianças de hoje em dia, meninos e meninas também, se interessam mais por desenhos no estilo "Ben 10", "Max Steel", etc .

RD1 - Quando descobriu que tinha vocação para a direção?

Silvia Abravanel - Ah! Descobri que tinha vocação para direção logo que meu pai me deu a oportunidade, em 1987, com 16 anos, de dar expediente nas minhas férias no SBT, e observava os outros diretores trabalhando. Comecei de baixo como estagiária e sempre fui muito curiosa e fui "colando'' em todo mundo, buscando ter cada vez mais informações. Daí, quando fui efetivamente trabalhar no SBT, aceitava todos os desafios que me foram dados pelo meu então patrão Silvio, e fazia tudo com muita garra e procurava ser a melhor profissional pois, afinal, tive o melhor exemplo. E assim, um dia ele me convidou para dirigi-lo no "Roda a Roda". Óbvio que aceitei e estou até hoje, inclusive como diretora de núcleo infantil do SBT, com muito orgulho por ter galgado o meu espaço e conquistado por merecimento e não por ser filha.

RD1 - Como é a relação profissional entre você e seu pai? Ele costuma lhe dar conselhos, ideias?

Silvia Abravanel - Nossa relação foi como um termômetro. Quando começamos a trabalhar juntos, éramos pai e filha e isso nos atrapalhava muito, pois ele me dava muitas broncas, com razão, quando eu era um pouco desatenta e cometia lá os meus erros de aprendiz (risos). E isso me magoava. Até que um belo dia conversei com ele e falei "de hoje em diante sou sua funcionaria e você meu patrão'' e isso é até hoje, onde eu ainda levo algumas "broncas'', porém me incentivam a ser cada vez melhor, pois é meu chefe que sabe muito mais que eu do assunto e está me ensinando a ser uma profissional melhor para também ensinar a minha equipe a chegar aonde eu cheguei. Sim nós trocamos muitas figurinhas sobre trabalho, ele me dá ideias e conselhos e vice-versa.

RD1 - Existem novidades programadas para o "Bom Dia"?

Silvia Abravanel - Estou trabalhando algumas novidades, mas prefiro não falar muito, pois o meu público é muito ansioso e, se eu falo alguma coisa e ela não acontece no momento que eles querem, “vixe”, me odeiam e até brigam comigo (risos). Então, na hora certa eu falo.

RD1 - E para o futuro de Silvia Abravanel? Você declarou recentemente que deseja ter três filhos.

Silvia Abravanel - Meu futuro já estava escrito nas estrelas (risos). Pretendo continuar com a vida que tenho hoje que está perfeita e eu só tenho a agradecer por tudo que tenho hoje: minhas filhas Luana, Amanda e Sophie, do coração, minhas razões de viver, meu esposo, um homem maravilhoso enviado pelos anjos, meu lar edificado na paz e amor, meu emprego que amo demais, minhas famílias de São Paulo e do Sul, meus amigos que guardo no meu coração e que prefiro não colocar nomes, pois são muitos e seria injusta de deixar alguém fora da lista. E, sim, pretendemos ter mais filhos e estamos já os planejando para logo, logo... e sempre, sempre, agradecendo!

Muito obrigada RD1 por terem me dado espaço para falar um pouco da Silvia Abravanel Pedroso de Abreu, e obrigada a todos os leitores pelo carinho com que sempre me recebem nas minhas entrevistas. E obrigada aos meus fãs que me dão apoio para eu poder cada vez mais me tornar melhor pra vocês, beijos!

Acompanhe Silvia Abravanel nas Redes Sociais
Facebook https://www.facebook.com/SilviaAbravanelOficial
Instagram http://instagram.com/silviaabravanel
Twitter https://twitter.com/sil_ab

Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários :

Postar um comentário

.