Erros e acertos de "Em Família", que termina hoje


"Em Família" sai de cena nesta sexta-feira (18) fechando um ciclo na vida do autor Manoel Carlos. O veterano cravou que esta é sua última telenovela para a faixa das 21h e, em entrevista ao RD1, deixou claro: não haverá outra Helena depois de Júlia Lemmertz. Sua despedida, no entanto, vai sair do ar com resultados abaixo do esperado pela Globo. E para os telespectadores em geral.

A história foi bem avaliada em suas duas primeiras fases, entretanto, a demora para a trama desenrolar na terceira e última, afastou o público do televisor e gerou muitas críticas à produção. "Em Família", no entanto, apesar de seus muitos defeitos, também teve qualidades que merecem ser destacadas. A seguir, a coluna lista erros e acertos da novela:

ACERTOS

* Vanessa Gerbelli, passada a confusão por conta da idade dos atores, roubou a cena em "Em Família". Para muitos, foi tida como protagonista da história. Juliana e seu desejo por ser mãe fez com que a personagem fosse vista não apenas como 'maluca' e sim como possível assassina de Gorete (Carol Macedo), entretanto, isso não passou de um boato — o autor não desenvolveu o drama pra esse lado. Após a união de Juliana com Jairo (Marcello Melo Jr.), Vanessa estrelou diversas sequências tensas, sendo a cena onde tentou se livrar do malandro com uma faca a mais angustiante.

* Outra cena tensa envolveu os personagens de Gabriel Braga Nunes e Bruno Gissoni, quando, após Laerte tardiamente voltar a demonstrar ter um pino a menos, ele instigou André a fazer uma travessia perigosa, mesmo estando bêbado. Por sorte o ex-namorado de Luiza (Bruna Marquezine) foi salvo por amigos presentes no local. Maneco deveria ter escrito mais situações como essa.

* A virada de Helena (Julia Lemmertz) foi outro marco do folhetim, quando muitos telespectadores deixaram de visualizar a personagem como chata. Bem verdade que Helena continuou pentelhando a vida da filha, do marido e demais pessoas próximas por causa de Laerte, mas, quando ela procurou Virgílio bêbada e vestindo apenas um sobretudo, tornou-se mais interessante e menos certinha e cheia de regras, mais próxima da Helena das primeiras fases.

* Chica foi um presente para Natália do Valle, que estrelou diversas sequências interessantes. Seja quando não aceitava as provocações de Branca (Angela Vieira), ao dizer verdades para Luiza ou suas conversas francas e emocionantes com os filhos Felipe (Thiago Mendonça) e Clara (Giovanna Antonelli) — Felipe lidava com o vício em álcool e ela a descoberta da homossexualidade.

* Também emocionante o momento em que Cadu (Reynaldo Gianecchini) resolveu procurar a família do homem que lhe doou o coração. O pedido feito pelo filho do doador repercutiu bastante: "Posso escutar o coração do meu pai?". Cadu também chamou a atenção pela forma um tanto quanto pacífica que lidou com o novo relacionamento da ex-esposa.

* Não apenas a persistência de Felipe ao tentar fisgar o coração de Silvia (Bianca Rinaldi) despertou interesse do público e crítica. Os diversos shows de atuação de Thiago Mendonça merecem registro, seja quando estava bêbado, lutando contra o vício ou as críticas de Gabriel (Mighel Thiré), ou se defendendo durante o julgamento por ter cometido erro médico. O ator provou ser um dos melhores de sua geração.

* Shirley passou longe de ser mais uma vilã de Vivianne Pasmanter em novela de Manoel Carlos, que já havia arrebentado como Débora ("Felicidade") e Laura ("Por Amor"). Entretanto, o humor negro e cheio de 'verdades' fizeram com que Shirley fosse uma das personagens mais queridas da trama. Shirley, aliás, é um reflexo das redes sociais, onde todo mundo diz o que pensa, muitas vezes sem imaginar as consequências.

* Selma foi outro grande trabalho de Ana Beatriz Nogueira e a parceria da atriz com Vivianne rendeu diversos bons momentos, especialmente com o fato de a personagem se aproveitar de sua senilidade para 'pintar e bordar', inclusive tentando 'salvar' o filho. Ela também dividiu opiniões pelas brigas do passado, que a afastou de sua família, e emocionou quando desabafou com Felipe e confessou não saber lidar com o vai e vem de sua memória.

* Por fim, dentre os acertos da novela, o casal "Clarina". Mesmo com os rumores de rejeição, Maneco levou adiante a proposta de afastar Clara de Cadu, aproximando-a aos poucos de Marina (Tainá Müller). Logo, a torcida pelo 'beijo gay' aumentou e, mesmo quando aconteceu, houve um clamor para que fosse além do selinho. E rolou, juntamente com belas cenas de trocas de carinho das duas atrizes, que mandaram muito bem. Destaque também para a 'vela' Vanessa (Maria Eduarda), que garantiu boas risadas ao tentar atrapalhar o casal.

ERROS

* O núcleo policial da história não aconteceu por dois motivos: o amontoado de clichês, dando indícios de que o autor não estava empenhado/interessado em desenvolvê-lo, e a fraca atuação de Erika Januza. A atriz passou longe do bom trabalho desempenhado na série "Subúrbia" e não convenceu em cena.

* O veterano também se esqueceu do núcleo de Goiás, fazendo Ana (Claudia Mauro) aparecer em raras ocasiões, perdendo, assim, uma excelente oportunidade de criar ainda mais conflitos entre o casal Helena e Virgílio.

* Outro talento desperdiçado foi Monique Curi, como Telma, que já não havia tido grandes oportunidades em seu retorno ao vídeo, em "Salve Jorge". Telma ficou fazendo escada para Miss Lauren (Betty Gofman), algo que qualquer figurante poderia fazer.

* Diversos outros atores foram escalados ou para fazer figuração ou não surgir no vídeo, como o irmão de Chica, Selma e Juliana, bastante citado no início de "Em Família" e que foi esquecido ao longo dos meses.

* A já citada Betty Gofman também era super aguardada com sua Miss Lauren, mas todos os integrantes da casa de repouso passaram batido, exceto Neidinha (Elina de Souza). Uma pena Maneco perder tanto essa oportunidade quanto a de uma abordagem mais aprofundada sobre o mal de Parkinson, vivido pelo grande Paulo José (Benjamin).

O maior erro, no entanto, foi citado logo no início do texto: a demora para a trama se desenvolver. Manoel Carlos tinha uma sinopse das mais interessantes nas mãos, mas passou cerca de dois meses cozinhando seus personagens em 'banho maria', ao invés de fazer a produção andar. Basta citar o longo período de 'embromation' antes de Luiza finalmente se aproximar de Laerte e o quanto custou para ele mostrar sua verdadeira face.

Quando todos esses acontecimentos finalmente foram abordados, os resultados de "Em Família" começaram a aparecer. Como já era tarde, muitos telespectadores não se sentiram atraídos. E é dessa forma melancólica que a produção irá se despedir!

Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários :

Postar um comentário

.