"Estou muito orgulhoso por fazer parte disso", diz ator de "Meu Pedacinho de Chão"


"Meu Pedacinho de Chão" chega ao fim na próxima semana, provavelmente empatada com "Joia Rara" como a menor audiência da faixa das 18h. No entanto, apesar dos números desanimadores, a trama de Benedito Ruy Barbosa tem muito o que celebrar, já que é extremamente elogiada pela crítica e apontada como forte concorrente ao Emmy Internacional.

Lucas Pinheiro, um dos felizardos por integrar o elenco desta obra-prima, realmente é um sortudo: o ator, que já acumula diversos trabalhos no teatro, fez um teste para fazer figuração no folhetim e, devido ao seu elogiado desempenho, foi convidado pelo diretor Luiz Fernando Carvalho para integrar o elenco de apoio, com um papel criado especialmente para ele, o barbeiro Aristides.

Na entrevista a seguir, Pinheiro fala sobre o período em que morou fora do Brasil, comenta sua relação com os profissionais de "Meu Pedacinho" e também faz um balanço da produção.

Confira:

RD1 - Você morou 6 anos fora do Brasil e chegou a integrar um grupo teatral em Barcelona. Essa experiência contribuiu para você se aprimorar como profissional?

Lucas Pinheiro - Toda experiência contribui para nossa formação como um todo e isso inclui o lado profissional. Sem dúvida, algumas coisas eu absorvi dessa época. Mas foi muito pouco tempo para dizer que algo me mudou enquanto profissional.

RD1 - Existe alguma diferença específica em relação ao conteúdo ofertado no Brasil nos cursos para atores ou são similares? Como é o marcado lá fora para atores?

Lucas Pinheiro - Não tenho como avaliar isso. Fiz parte por um curto período de uma companhia teatral. Os exercícios eram muito parecidos com os daqui mas não tive tempo de me aprofundar lá. O que eu vejo é que aqui no Brasil existem bons cursos e péssimos cursos. Cursos que preparam o ator para o mercado e cursos que "vendem DRT". A diferença básica, além do preço, é que em um o aluno sai ator, preparado para os testes, palcos e estúdios. No outro, não. É sempre bom buscar referências antes de começar um curso.

RD1 - Além de "Meu Pedacinho de Chão", você tem uma série veiculada pelo canal PlayTV no currículo. A nova Lei da TV paga, que gerou diversas novas produções, ajuda o profissional a não depender da escalação para novelas?

Lucas Pinheiro - Sem dúvida! Muitas produções independentes estão ganhando espaço nas TVs pagas graças a essa nova Lei. Tem muita gente produzindo coisa boa e conseguindo espaço nesses canais. É bom pra todos! Para o público que pode conhecer o trabalho de novos atores, diretores, produtoras e para esses profissionais que tem seu trabalho exibido e valorizado.

RD1 - Você também é roteirista e está trabalhando na produção do seriado "Apto 116", que já tem um piloto. Qual a dificuldade de conseguir emplacar um projeto assim?

Lucas Pinheiro - O "Apto 116" é um seriado escrito por mim e produzido em parceria com grandes amigos do mercado audiovisual. Quando começamos este projeto, despertamos o interesse de alguns dos maiores canais fechados e um canal aberto. Fizemos tudo com muito capricho, mas o projeto ficou parado na pós produção. Por ser um trabalho colaborativo, cada membro da equipe é especialista e responsável por uma área da produção. Infelizmente, a pessoa que cuidaria da pós produção nos deixou na mão. Com minha vinda para o Rio para gravar a novela, o "Apto 116" ficou paralisado neste estágio. Eu acabo assumindo, além de roteirista, a função de produtor do trabalho. Então, basicamente o que nos falta para finalizar esses pilotos e fazer realmente acontecer o "Apto 116" é uma pessoa que assuma essa pós produção e tope entrar de "parceiro" com a gente. Mas tem que ser bom!

RD1 - Você já atuou em diversas peças e, recentemente, existiu uma polêmica com o ator Caio Castro, que disse não gostar de ler ou de teatro. Como seria o Lucas Pinheiro sem essa bagagem? O teatro é realmente fundamental para a formação do ator?

Lucas Pinheiro - Eu sou cria do teatro. Minha história começou mesmo nos palcos. Quando fui para a TV, não tive nenhuma dificuldade. Já nos primeiros testes de publicidade, fui aprovado. É uma linguagem diferente do teatro? É! Mas o teatro te dá a segurança de saber o que está fazendo e te prepara para imprevistos. Em praticamente todos os meus testes de publicidade, e mesmo no seriado "Eu Odeio meu Chefe" e agora na novela, eu sempre coloco algo meu no texto. Sou ator criador e também não deixo a cena cair se der um branco. Estou preparado para contornar isso. Se não tiver alguém acompanhando o texto no papel, nem vão perceber se eu mudar algo porque mudo com coerência. Nunca repeti uma cena mais que duas vezes. Isso sem dúvida devo ao teatro.

aristides
Lucas Pinheiro em cena de "Meu Pedacinho de Chão"
RD1 - Seu teste para "Meu Pedacinho de Chão" era para fazer figuração na novela, mas sua atuação agradou a direção e, por isso, foi convidado para integrar o elenco de apoio da trama. Como é ter esse respaldo e um papel criado pra você?

Lucas Pinheiro - Eu fui chamado por uma agência para fazer um teste de elenco de apoio. Quando cheguei, um pouco antes do teste, o assistente de direção avisou para todos os atores que seria um teste de figuração especial. Eu fiquei muito chateado. Não saí de São Paulo para o Rio de Janeiro para fazer teste de figuração. Controlei minha decepção e decidi fazer o teste mesmo assim. Quando terminei, o assistente me parabenizou e falou que eu havia sido aprovado. Eu agradeci e recusei! Expliquei que havia sido chamado para teste de elenco de apoio e que não seria interessante para eu fazer figuração. Já tinha um nome bem consolidado no mercado publicitário de SP fazendo uma média de 11 comerciais por ano e já como um dos protagonistas de um seriado na TV fechada. O assistente lamentou e falou que gostou muito do meu teste mas que o elenco e elenco de apoio estavam já fechados. Agradeci e falei que se tivesse uma nova oportunidade para elenco poderia me chamar. Nos despedimos e fui embora. Dia 25 de dezembro me ligaram da Globo falando que souberam o que aconteceu e que o diretor viu meu teste, gostou, viu meu registro de vídeo na emissora, gostou, viu meus outros trabalhos em meu site, gostou, e pediu para criarem um personagem no elenco de apoio para eu fazer parte do projeto. Claro que aceitei na hora! Eu não esperava por isso. Sabia que o personagem seria muito pequeno mas só de ter sido nessas circunstâncias eu não poderia recusar!

RD1 - Além de contracenar com atores do porte de Antonio Fagundes, você ganhou um elogio do veterano. É possível dizer que começou com o pé direito em novelas?

Lucas Pinheiro - Sem dúvida! Foi minha primeira cena na novela. Eu havia conhecido o Fagundes uma hora antes no camarim e trocamos duas palavras. Eu sempre fui fã dele, mas na hora da cena eu estava ali com um colega de trabalho, não com um ídolo. Consigo separar bem as coisas e isso me ajudou. Repetimos a cena uma única vez porque teve algum problema com a luz e, quando terminamos, uma amiga ouviu ele me elogiar para o diretor. Foi muito bom isso! É um ator incrível e um ótimo colega de cena e de bastidores. Muito educado e agradável!

RD1 - Seu personagem é um barbeiro, não tem um núcleo próprio e por isso você depende dos demais personagens para surgir em cena. Aumenta a expectativa não saber exatamente quando você vai gravar, já que não existe um compromisso diário como os demais?

Lucas Pinheiro - Sem dúvida! Fico sabendo sempre na véspera. Então, todos os dias é aquela expectativa para ver se chega o e-mail me escalando para uma cena no dia seguinte.

RD1 - Como é trabalhar em uma novela tão elogiada pela crítica, produção que muitos consideram como vencedora do próximo Emmy?

Lucas Pinheiro - Acredito que esta novela será realmente muito premiada! Estou muito orgulhoso por fazer parte disso e ver meu nome nos créditos finais. Para uma primeira oportunidade na Globo, e da forma como aconteceu, não posso sentir nada menos que muito orgulho e gratidão. Fui muito bem acolhido por todos os profissionais envolvidos. Maquiagem, figurino, atores, direção, figuração, motoristas, produção... somos uma grande família ali! Tô me sentindo em casa. A saudade já é grande (risos).

RD1 - Muito se fala sobre o cuidado de Luiz Fernando Carvalho com este trabalho. Como é o bastidor deste folhetim?

Lucas Pinheiro - Ele é mesmo muito cuidadoso. Já aconteceu de ficarmos o dia todo gravando um detalhe. Ele busca a perfeição e o resultado é essa obra-prima que vemos todos os dias na telinha.

Os bastidores? Bom, para nós atores, é de muita espera. Mas o clima é ótimo porque os profissionais todos se respeitam, gostam de estar ali, então, de um modo geral, é como se fossemos uma grande família.

RD1 - "Meu Pedacinho de Chão" está em reta final. Qual balanço faz da novela e do seu trabalho? Quais os planos para o futuro?

Lucas Pinheiro - Está terminando e a saudade já começa a bater! Vou sentir saudade dos grandes amigos que fiz aqui. Sei que meu personagem não apareceu muito se for pensar em número de cenas mas, se pensar que ele nem existia, então ele apareceu demais! Estou muito satisfeito com o resultado e sei que dei o meu melhor em todas as oportunidades que tive. Termino este trabalho tranqüilo e certo de ter deixado uma boa imagem. Acabando a novela, devo voltar a passar mais tempo em São Paulo, voltar para as publicidades e, quem sabe, em breve, apareça um novo trabalho na TV. A porta está aberta!

Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários :

Postar um comentário

.