"O 'The Noite' é um manicômio", avalia Danilo Gentili, que comemora o sucesso do talk show


Danilo Gentili é o apresentador mais comentado de 2014. Primeiro, em razão de trocar a Band pelo SBT, e, depois, pelas diversas notícias publicadas sobre uma possível 'vingança' vinda do canal do Morumbi. Agora, ao final da primeira temporada do "The Noite", é possível concluir o óbvio: o humorista fez barulho em razão do sucesso do talk show e acertou ao mudar.

O formato deu tão certo que fora apontado, inclusive pelo RD1, como o melhor lançamento do SBT nos últimos anos, e passou a ameaçar até o longevo "Programa do Jô". De brinde, ainda contribuiu para aumentar a média-dia da emissora de Silvio Santos e fez com que o SBT fosse o único a não perder audiência nos finais de noite.

Na entrevista a seguir, concedida com exclusividade ao RD1, Gentili faz um balanço desse primeiro ano do "The Noite", fala de audiência e é categórico: "Não somos concorrentes do extinto 'Agora é Tarde" ou do "Roberto Justus +" e nem da "Luciana by Night". Somos concorrentes do Jô!".

Confira a íntegra da conversa:

RD1 - Você é um dos profissionais de TV mais comentados do ano. De início, por conta da estreia e, depois, em razão do sucesso do "The Noite". Imaginava que seria assim mesmo já estando em alta no 'extinto' "Agora é Tarde"? Ou pensou que o barulho pudesse diminuir com o passar das semanas?

Danilo Gentili - Quando a mudança foi feita, trabalhei ao lado de minha equipe arduamente para entregar para o público algo que fosse familiar e agradável no visual e no conteúdo. Me lembro que, em nossa primeira reunião, ainda em janeiro, disse pra eles: "Precisam olhar para o programa e acharem que estão assistindo a um talk show de padrão internacional, algo que não deve em nada para qualquer programa gringo do gênero. Devem assistir ao SBT e não se lembrarem que estão na TV aberta brasileira".

Logo depois da nossa estreia, algumas notícias dos principais jornais deram na manchete que elevamos o padrão do talk show brasileiro e que nem parecia um programa da TV aberta do país. Me lembro que fiquei feliz ao ler essas manchetes, pois, sem saber, os jornalistas usaram os mesmos termos que eu usei com minha equipe quando estabeleci nossa meta e padrão de qualidade. Acho que tudo funcionou muito bem porque, no fundo, mais do que um apresentador, eu sou um fã do formato e cuido dele com atenção em cada detalhe para que aconteça da melhor forma possível. O relacionamento entre todos nos bastidores é muito legal, todos querem fazer um ótimo programa!

RD1 - O histórico de mudanças na grade promovidas pelo SBT no passado em algum momento te amedrontou?

Danilo Gentili - Essa fama do SBT em mudar a grade toda hora deu medo, sim. Mas o carinho que eu, como telespectador, tenho pela emissora, acabou falando mais alto, e a vontade de fazer algo que funcionasse para que o SBT não pensasse em me mudar de horário, também. Eu pensei “Se eu fizer algo que funcione no horário combinado, por quê eles mudariam?”. Um ano se passou e estamos firmes e fortes pós prime-time, como foi acordado desde o início. E o melhor, com audiência de prime-time!

RD1 - O RD1 já publicou diversos relatórios que demonstram o quanto o "The Noite" ajudou no crescimento da média-dia do canal. Que balanço faz desse primeiro ano do talk show? Você vence o Jô com certa frequência…

Danilo Gentili - Essa foi outra meta que eu estabeleci para toda minha equipe no primeiro dia de reunião. A estratégia era criar algo muito competitivo para entenderem que nossa briga era com o primeiro lugar e não com o terceiro ou quarto lugares. Acredito que fomos felizes de novo nisso. Não somos concorrentes do extinto 'Agora é Tarde" ou do "Roberto Justus +" e nem da "Luciana by Night". Somos concorrentes do Jô! A questão comparativa para o público e crítica fica sempre entre o "The Noite" e o "Programa do Jô", entre o SBT e a Globo. Ninguém nunca nos compara aos outros programas. Me lembro que, quando criei o "Agora é Tarde" — e depois de anos os convenci a colocar no ar —, a média do horário na Band era 0,6. Alavanquei para 4 pontos o horário e, mesmo estando na quarta emissora do país, vencia a Record e o próprio SBT com frequência — chegamos a empatar com a Globo algumas vezes. Saí da emissora deixando o programa entre 3,5 e 4 pontos — hoje o mesmo programa, no mesmo horário, performa muito abaixo do que conquistamos, muitas vezes ficando abaixo de 1 ponto. Mas nós continuamos crescendo e, acima até das nossas próprias expectativas, frequentemente fechamos em primeiro lugar. Fico feliz com nosso resultado porque ele espelha a preferência do público e essa é a recompensa mais valiosa que o nosso duro trabalho pode receber. Obrigado a todo mundo que nos assiste! Meu talk show teve um ano maravilhoso e devo isso ao público!

RD1 - Já trabalham visando novidades para 2015?

Danilo Gentili - No "The Noite" estamos visando férias, apenas isso. Para o programa acontecer como deveria, eu sacrifiquei a minha férias e as da equipe. Como está fazendo falta agora! Mas valeu muito a pena, faria tudo novamente!

RD1 - O programa segue inédito durante as férias?

Danilo Gentili - A partir de 2 de janeiro vamos reprisar diariamente no mesmo horário momentos marcantes e, depois do Carnaval, voltamos com novos quadros, uma pequena reformulação no visual e novas entrevistas. Nossa segunda temporada no SBT começa em março.

RD1 - Na verdade, tudo o que você fez na TV sempre rendeu, desde o "repórter inexperiente". Como é o Danilo de hoje em comparação com o que alcançou o estrelato no "CQC"?

Danilo Gentili - Acredito que amadureci. Você aprende que se for apenas apaixonado pelo seu trabalho acaba atropelado e extorquido pelos que são apaixonados em lucrar em cima do trabalho de quem faz apenas com essa visão. Então, tenho aprendido a trilhar o caminho de independência criativa — que sempre persegui mesmo quando fazia parte de um enlatado — e buscado parceiros que valorizam meu lado artístico e respeitam minha visão. Posso dizer que nesse ano um grande passo foi dado nessa direção para mim. O SBT é uma Casa excelente para se trabalhar, o respeito que eles têm comigo é excepcional e o "The Noite" é resultado disso. O programa ficou exatamente como eu quis, sem interferência de ninguém, e os resultados mostram que as escolhas que fiz foram arriscadas, porém acertadas.

RD1 - No primeiro semestre, a Globo vetou a ida do Datena ao "Programa do Jô". É complicado lidar com as limitações impostas por canais concorrentes?

Danilo Gentili - Acho completamente idiota esse coronelismo de TV que só existe no Brasil. Uma TV se acha dona de um artista. Eu sempre lutei contra isso e acho que todos os artistas deveriam lutar também. A coisa mais legal é um artista poder ir no programa do outro. O público ganha muito com isso. O show business fica muito mais rico assim!

RD1 - Você tem conversado com diversos ícones da TV, figuras nacionais e internacionais que fizeram sucesso no passado, como os intérpretes de Jiraya, Beackman e Seu Barriga. Essas pautas te colocam como entrevistador e fã ao mesmo tempo?

Danilo Gentili - Sempre! Esse ano, excepcionalmente, fomos uma espécie de “sofá oficial” do show business brasileiro. Todos os astros internacionais que vieram para o Brasil passaram apenas pelo "The Noite". Na realidade, durante todo o momento em que estou à frente do "The Noite", estou como fã, pois é sempre com essa mente que idealizo o programa. Sempre faço um programa que eu gostaria de assistir!

RD1 - Há algum tempo, foi noticiado que profissionais do SBT apostavam que você conseguiria entrevistar Silvio Santos. Vê isso como impossível ou acredita que um dia consegue dobrá-lo? Marília Gabriela nunca conseguiu….

Danilo Gentili - A entrevista com o Silvio Santos vale muito mais do que barras de ouro, que valem muito mais do que dinheiro! Quem conseguir, vai tirar a sorte grande. Será?

RD1 - Você abre espaço para muita gente em seu programa e nem aparece no vídeo em algumas situações. Acha importante a valorização da equipe?

Danilo Gentili - Eu gosto que todos estejam felizes trabalhando. Gosto de trabalhar num lugar onde todos estão satisfeitos. Muita gente trabalha duro para realizar o "The Noite" e eles precisam saber que aquele programa também é deles. Temos quadros até para o pessoal dos bastidores se divertirem e brincarem junto com o elenco. Eu já trabalhei em lugares nos quais o bastidor era pesado e horrível, e não tem nada pior! Não existe dinheiro no mundo que faça você se sentir bem em um lugar ruim! Você passa a maior parte do tempo no ambiente de trabalho, então que seja um lugar agradável e divertido, é o mínimo que podemos esperar, não acha? A vida é muito curta e, se somos obrigados a perder uma boa parte dela trabalhando, vamos nos divertir enquanto fazemos isso, ué!

RD1 - O quadro "O Mestre Mandou" repercute bastante. Qual dos participantes julga ser o mais sem limites, que topa quase tudo?

Danilo Gentili - O "The Noite" é um manicômio! No elenco, todos têm sérios problemas! Todos são completamente malucos em alguma área. "O Mestre Mandou" está cada vez mais difícil, pois ninguém perde. Se eu peço "Vai lá e se jogue da ponte", o cara se joga! Daqui a pouco vou pedir pra alguém dar um tiro no próprio pé e alguém vai fazer…

"… espera aí…
… essa é a uma boa ideia pro próximo..."

RD1 - A primeira temporada do "Politicamente Incorreto" também fez bastante barulho. Terá continuidade?

Danilo Gentili - "Politicamente Incorreto" terminou como a maior audiência da história do FX no Brasil, um sucesso comercial para a FOX, e recebi muitos comentários positivos nas redes sociais e, até hoje, tem muita gente pedindo uma segunda temporada. Pela performance da série no canal, tudo leva a crer que teremos uma segunda. Resta saber se conseguirei fazer para o ano que vem, pois no segundo semestre já esta agendada a gravação do filme “Como se Tornar o Pior Aluno da Escola”.

Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários :

Postar um comentário

.