"Two And a Half Men" sai do ar, mas ainda rendia mais


Acho que vou contra meio mundo, afinal, só estou vendo críticas sobre o final de Two And a Half, além das muitas já publicadas sobre a série em geral.

Na verdade, uma produção que sempre dividiu opiniões, seja com Charlie Sheen ou Ashton Kutcher, verdade seja dita.

Eu, particularmente, gostei tanto com um quanto com outro. Não senti falta de Charlie após sua conturbada saída e me adaptei a Walden.

Angus T. Jones também saiu e a graça se manteve.

Esse series finale brincou com meio mundo e uma coisa que Alan disse é verdade: a série não era só Charlie, Jon Cryer também era protagonista.

Em resumo, uma das poucas histórias que foi recheada de mudanças e ainda assim me segurou.

House e Dontown Abbey não tiveram a mesma sorte.

Achei legal também Berta dizendo que se Charlie voltasse e Cryer saísse, talvez ainda ficassem no ar por mais cinco anos.

Ou as muitas zoeiras entre Ashton e Charlie, além da piada final com Chuck Lorre.

Acho que saber rir de si é fundamental e Two And a Half Men sempre fez piada com sua própria desgraça.

De qualquer forma, melhor sair do ar enquanto fazia rir que definhar.

Ah, muito bacana terem convidado tantos que marcaram a série para a despedida, incluindo Angus ou Melanie Lynskey, como a sempre divertida Rose <3 .="" :="" aparecido="" e="" erb="" gregory="" mas="" melnick="" n="" o="" p="" pena="" ter="">


Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários :

Postar um comentário

.