Aisha Jambo celebra papel em "Os Dez Mandamentos": "É um presente"


Aisha Jambo, que ficou nacionalmente conhecida após o sucesso como Naomí em "Malhação", papel que interpretou por quase três anos, foi escalada para "Os Dez Mandamentos", novela que é a maior audiência da temporada 2015 da Record e que tem batido consecutivos recordes.

No folhetim de Vivian de Oliveira, a atriz entra em cena como Radina, que com o passar do tempo vai se interessar por Moisés (Guilherme Winter), o protagonista.

"A novela está lindíssima! Tenho muitos amigos no projeto e está sendo um prazer encontrá-los nesse trabalho de sucesso", conta ela, que também está no ar na TV Brasil com a segunda temporada da série "Natália", da qual é protagonista.

Aisha Jambo fala sobre esses e outros trabalhos com exclusividade ao RD1! Confira a íntegra da conversa:

RD1 - Você foi escalada para "Os Dez Mandamentos", novela que já está na metade. Como é entrar em uma obra em andamento e consolidada?

Aisha Jambo - Entrar em uma obra em andamento é delicado e tem de ser feito com cuidado. Porém, acho muito bacana, já havia experimentado isso em "Alma Gêmea" e deu muito certo! A dramaturgia precisa de novidades, personagens-surpresa. Entrar numa obra consolidada é um presente.

RD1 - A novela é responsável por levantar a audiência da faixa de folhetins do canal. Qual sua expectativa para este projeto?

Aisha Jambo -  A novela está lindíssima! Tenho muitos amigos no projeto e está sendo um prazer encontrá-los nesse trabalho de sucesso comandado pelo grande diretor Alexandre Avancini (Avec). Minhas expectativas são as melhores, visto que estou bem cercada.

RD1 - Você havia feito teste para "Escrava Mãe", a próxima trama do canal. Como aconteceu essa "troca" de novelas?

Aisha Jambo - Na verdade, não tenho essa informação, mas acredito que não foi bem uma troca. As coisas devem ter sido decididas cada uma a seu tempo. De certa forma, foi mais fácil para mim entrar em "Os Dez Mandamentos", que é gravada aqui no Rio. Seria mais delicado reorganizar toda a rotina com meu filho, Ian, de 7 anos, indo gravar em SP.

RD1 - Como é sua personagem em "Mandamentos"?

Aisha Jambo - Radina é uma mulher forte, amorosa, dedicada, serena, correta. É uma princesa núbia, irmã de Jahi. Já passou por uma grande tristeza em sua vida, a perda do marido, um guerreiro. Servirá à rainha Nefertari como dama de companhia.

RD1 - O que pode adiantar de Radina? Sabe-se que ela se interessará por Moisés...

Aisha Jambo - Durante as pragas, se converterá ao Deus dos judeus e ficará muito impressionada com as palavras de Moisés.

RD1 - Gosta de histórias de época? Você tem outros trabalhos no currículo, como "Cabocla"...

Aisha Jambo - Gosto muito de histórias de época. É fascinante imaginar e mergulhar em um tempo distante, passado ou futuro, ainda mais 3 mil anos atrás! Histórias que, conhecendo a bíblia profundamente ou não, já ouvimos falar, estão em nosso imaginário. E a pesquisa de caracterização foi feita com muito preciosismo.

RD1 - Fez laboratório? Qual sua preparação para viver Radina?

Aisha Jambo - Como estou entrando agora nos acréscimos do segundo tempo (risos), não tive como fazer um laboratório com todo o elenco, eles gravam muito! Mas tive boas conversas com o diretor, a preparadora de elenco e alguns atores. Tenho lido textos relacionados e escutado música de origem africana da região da núbia. Também gosto de me inspirar assistindo filmes.

RD1 - Além de "Mandamentos", você está no ar na TV Brasil como protagonista na série "Natália". É um segmento que te agrada? As emissoras têm investido bastante neste formato.

Aisha Jambo - Pois é, "Natália" foi um grande aprendizado para mim. Me agrada, claro! É um formato mais dinâmico, leve, rápido de ser feito — 2 meses, em média — e, às vezes, pode ter uma "pegada" mais cinematográfica.

RD1 - Você se formou em Dança. Qual contribuição esta expressão artística tem na sua evolução enquanto atriz?

Aisha Jambo - Sim, me formei em Dança. Foi uma descoberta maravilhosa na minha vida a aproximação do teatro e da dança. Me fez tomar mais consciência e conhecimento do meu corpo, como cuidá-lo e trabalhar em cena. Antes de entrar na faculdade, já havia passado por algumas rápidas aulas de dança e 3 anos de circo com a querida Vanda Jacques, da Intrépida Trupe, o que me ajudou nas aulas de dança contemporânea —não tive muita experiência com balé. Percebi que essa é uma corrente que está crescendo e tomando corpo na atualidade (dança-teatro), dá margem para muitas possibilidades de criação. Pode ir por um caminho mais do teatro físico, ou de uma dança-teatro, dança com elementos de teatro. E ainda temos o vídeo dança, outra linguagem bem interessante.

RD1 - Como foi a experiência com "Podia Acabar o Mundo", produção da portuguesa SIC?

Aisha Jambo - A participação na novela portuguesa foi bastante intensa. Foi meu primeiro trabalho depois da gravidez, e o mais interessante é que a personagem tinha cenas dando à luz, foi especial fazer. A equipe era muito divertida, filmamos em um hotel fazenda em Miguel Pereira. A produtora que me convidou foi a Ciça Castello, a mesma que me chamou para "Malhação". Ian tinha 7 meses e ainda mamava muito, o pai ajudou bastante ficando com ele.

RD1 - Os artistas costumam dizer que não notam muitas diferenças no jeito de se fazer novelas na "terrinha" e no Brasil, concorda?

Aisha Jambo - A minha experiência em novela portuguesa foi rápida, mas acho que é similar sim.

RD1 - Você participou do curta "Dá Licença de Contar", inspirado em músicas de Adoniran Barbosa e a previsão é que o projeto renda um longa. Como estão as conversas a esse respeito e qual será o foco do possível filme?

Aisha Jambo - O filme já tem um belo patrocínio mas precisa continuar captando. O planejamento é filmar no primeiro semestre de 2016. A trama se desenvolve a partir das canções do Adoniran, como acontece no curta. Faço a Iracema.

RD1 - Até hoje te associam à Naomí de "Malhação". Te incomoda? Você a enxerga como o maior papel de sua carreira?

Aisha Jambo - É verdade, sou lembrada pela Naomí depois de uma década! E o engraçado é que não parece que passou todo esse tempo. Adoro ser reconhecida por esse trabalho que marca meu início na TV. Foi sim uma personagem muito importante na minha carreira e sinto que fiz bem o meu trabalho. Contei com a orientação de uma mestra, a diretora de cinema Heloisa Périssè, prima da atriz. Mas sinto que outros trabalhos também foram muito fortes como: "Cabocla", "Alma Gêmea", "Alemão" (no cinema). Com a Naomí, pude experimentar muitas coisas, pois vivi essa personagem por praticamente 3 anos.

Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários :

Postar um comentário

.