Cidades de Papel é fraquinho na comparação com A Culpa é das Estrelas


Achei Cidades de Papel bem, bem, bem infanto-juvenil. Exibido no ano passado, A Culpa é das Estrelas conseguia englobar um público mais amplo, especialmente por ter uma história tocante.

Depois de tantos desafios, o final do longa não foi sequer parecido com um conto de fadas. E nem por isso a produção foi ruim. Mas Cidades é como estar, sei lá, diante de Os Batutinhas, por exemplo.

E não estou desmerecendo nem um, nem o outro, já que Batutinhas é um filme adorável. Mas aqueles jovens com cara de meninos cantando Pokémon, com uma dancinha maluca ao final, ou seja, em busca de um namoro, se formando, já dirigindo, mas ainda com um pé na infância...
     
E o desfecho da produção foi bem aos moldes de A Culpa, mas dispensável depois de toda aquela busca. O primeiro emocionou enquanto o segundo deixa um ar de decepção, especialmente porque a atriz - Cara Delevingne - não é grandes coisas. Os demais sim, dão conta do recado e têm carisma.

Gostei especialmente do início, com os dois se vingando dos "traíras", apesar de que... não eram nove coisas que eles iriam fazer? Também a viagem a Nova York teve diversos bons momentos, como o xixi.

No geral, me arrependi de ir ao cinema. É um longa bem Sessão da Tarde, e, da minha parte, não vale o ingresso.

Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários :

Postar um comentário

.