"Todos os que conheciam o Cazuza eram loucos por ele", emociona-se Ney Matogrosso



O cantor Ney Matogrosso foi o convidado do programa “Mariana Godoy Entrevista” desta sexta-feira (28).  Durante a entrevista, além de relembrar seus mais de 40 anos de carreira, o artista falou sobre assuntos de sua vida pessoal – como o passado em Mato Grosso do Sul e a paixão pela natureza, que o levou a batalhar para conseguir registrar uma Reserva Particular de Patrimônio Natural (RPPN) – e contou que sempre busca lançar trabalhos inovadores. “Eu acho mais interessante apresentar coisas novas sempre. É uma filosofia de vida, eu sou assim. Não sou voltado ao passado e guardo apenas as boas recordações, das más eu já me desfiz”, comenta.

Elogiado diversas vezes por Mariana Godoy, que afirmou que ele tem “capacidade de hipnotizar qualquer plateia”, Ney Matogrosso não deixou de comentar que algumas críticas já o abalaram por anos. “No meu primeiro trabalho solo, depois de deixar o Secos & Molhados, eu queria mostrar tudo o que me interessava na música brasileira e tive as piores críticas da minha vida. Só que eu gostava do que eu tinha feito, achava interessante. Depois de um tempo, pensei :‘Já que não entendem, azar o deles’.  Com o público, nunca tive problemas. Eles sempre estiveram ao meu lado”, contou o artista.

Sobre a relação que viveu com Cazuza, o convidado afirmou que ela nunca foi mantida em segredo e que até mesmo os pais de Cazuza sabiam do envolvimento. Ainda sobre o assunto, Ney disse que a relação só não repercutiu tanto porque aconteceu antes de Cazuza tornar-se famoso e que o cantor foi um dos grandes amores de sua vida, do qual ele guarda recordações até hoje. “A minha lembrança do Cazuza é a seguinte: todos têm uma imagem dele muito agressivo, louco e eu tenho uma imagem dele que é extremamente doce, suave, extremamente apaixonante. Era impossível não se apaixonar. Todos os que conheciam o Cazuza eram loucos por ele”, emocionou-se.

Ainda ao longo da entrevista, Ney falou sobre homossexualidade e o preconceito que sofreu num momento em que a sociedade era mais conservadora, inclusive de seu próprio pai, que era militar. “Eu era a ovelha negra da família, fui o único que não se submeteu, porque ele me tratava como se eu fosse um soldadinho dele”, contou, afirmando ainda que teve tempo de resolver as intrigas com sua figura paterna. “Dou um depoimento a respeito das relações de pai e filho porque a nossa era de ódio explícito de ambas as partes. Nós saímos na pancadaria dentro de casa, mas pudemos nos reconciliar. Depois disso, eu fui o único filho que ele beijou durante a vida toda”, comemorou.

O programa contou ainda com a apresentação musical de Tiago Iorc, que recebeu uma premiação do Youtube das mãos de Ney Matogrosso, por ter alcançado 100 mil inscritos em seu canal na plataforma.  No encerramento, Iorc tocou “O Vira” – sucesso de Ney Matogrosso que foi a primeira música que ele aprendeu – e Mariana Godoy improvisou e cantou junto com os artistas.


Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários :

Postar um comentário

.