Teresa não é um remake de Rubi



Teresa se destaca nas tardes do SBT. A audiência varia de 7 a 9 pontos, índice alto para o período da tarde. A novela substituiu a tradicional novela rosa Coração Indomável, o que poderia gerar um choque, mas isso não ocorreu: o público aceitou bem a trama da ambiciosa moça pobre, que não quer um homem rico por amá-lo como a Maricruz da novela anterior, mas sim pelas vantagens que ele pode lhe trazer.

Teresa é um remake - novidade, difícil é a Televisa não produzir um remake -, mas não se trata de uma refilmagem de Rubi, mas sim de uma obra de 1969. Já Rubi foi baseada em um filme mais recente, ou seja, Rubi veio antes na tv, mas a história de Teresa é mais antiga. Rubi é protagonizada pela Bárbara Mori e, ao mesmo tempo, pela Jacqueline Bracamontes, a Maribel. As duas têm o mesmo peso na trama. Como Rubi é muito má, a torcida vai toda para Maribel. Já em Teresa, a protagonista é a própria. Ela é dúbia. É má também, mas ama. Ela não roubou ainda o namorado de ninguém. Fará isso agora mais no fim da novela. Rubi já começa botando pra quebrar roubando o noivo da melhor amiga, o que já faz de Maribel uma vítima e, como ela é encantadora, doce, meiga, a torcida já vai pra ela. Teresa, embora ambiciosa, não toma o Arthur de ninguém e várias vezes quase volta pro seu primeiro amor, Mariano. Ela oscila entre o amor e o dinheiro e ainda acaba se apaixonando de verdade por Arthur, embora o dinheiro tenda a ter uma voz mais alta na consciência dela. Teresa ainda sofre perseguições na trama não por seu caráter, o que seria merecido, mas só por ser de origem humilde e isso é mais um fato que a torna mais humana perante Rubi. Fora isso, as tramas que orbitam as personagens são bem diferentes.

Teresa chega ao fim agradando o público assim como Rubi agradou na época em que foi exibida e, além disso, conseguiu criar mais uma estrela no imaginário do público brasileiro: Angelique Boyer, que também saiu de Rebelde como Maite Perrone. A emissora já escalou uma novela com a atriz, trata-se de Abismo de Paixão de 2012, protagonizada por ela e pelo já conhecido aqui David Zepeda, o Alonso de A Dona. E se Abismo ir bem devem desembarcar por aqui novelas como: Lo Que La Vida Me Robó e Frente ao mismo rostro, protagonizadas pela Angelique, Teresa e Sebastian Rulli, Arthur, que são um casal também na vida real. Fico por aqui, um abraço a todos e até a próxima.

* por Gilmar Moraes

Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

1 comentários :

  1. Só explicando Abismo de Paixão estreia em Abril no lugar de Teresa.

    ResponderExcluir

.