O Começo da Vida está no Repórter Eco

O Repórter Eco do próximo domingo (24/7) destaca o documentário sobre a formação de seres humanos, O Começo da Vida. O programa da TV Cultura também apresenta mais duas reportagens, uma sobre a pesquisa Como Anda, sobre mobilidade urbana, e outra sobre os benefícios de se cultivar uma horta caseira. A edição vai ao ar às 17h30, com apresentação de Márcia Bongiovanni.

Existem incontáveis espécies de seres espalhados pelo mundo, mas, dentre eles, o ser humano é o que possui a infância mais longa. Todo contato adquirido com os pais e familiares ao longo desse período da vida é essencial para que haja a formação de um adulto saudável. Pensando nisso e em todas as consequências que a relação afetiva pode trazer para o homem, a produtora de vídeo Maria Farinha Filmes retratou o tema com a produção do documentário O Começo da Vida.

A iniciativa foi da Fundação Maria Cecilia Souto Vidigal, que há mais de 50 anos trabalha pelo desenvolvimento infantil, na intenção de construir uma sociedade mais promissora. Com a ajuda da Maria Farinha, o projeto pode se concretizar. Para a diretora do filme, Estela Renner, o assunto é importante pois “em nenhum momento da nossa vida, o nosso cérebro vai se formar tanto quanto nesses primeiros anos. A nossa personalidade, o nosso eu, o nosso sujeito... Então, tudo o que acontece ao redor da criança contribui para a formação dela.”

O documentário pode ser baixado de graça da internet pelo site videocamp.com, que indica também as salas de cinema em que o longa está sendo exibido. O Começo da Vida revela que não é o consumo de bens materiais em excesso que faz uma infância feliz. “Brinquedos caros e prontos, por exemplo, atrofiam os músculos da imaginação”, diz a diretora.

Outro destraque desta edição é a reportagem sobre a pesquisa Como Anda. Para estimular o deslocamento a pé pelas cidades brasileiras, foi desenvolvido um estudo para mapear as Ongs que se dedicam à mobilidade urbana dos pedestres e, dessa forma, tentar reduzir o número de veículos em circulação.

Os resultados iniciais revelam desafios que os institutos dos mais diversos estados procuram vencer. Silvia Stuchi Cruz, da Ong Corrida Amiga, explica: ‘‘Nós estimulamos a mobilidade a pé, independente da velocidade. Para nós, o que importa é as pessoas ocuparem o espaço público e entenderem que elas podem transformar o tempo em que estão ali paradas, estressadas e sedentárias no trânsito, em atividade física e qualidade de vida”.

Com esse estudo, espera-se que as atividades físicas realizadas em conjunto se transformem em uma ponte que incentive ainda mais a troca de informações e as possíveis parcerias, para, dessa forma, ampliar o rumo de cada ação.

Para finalizar esta edição, o Repórter Eco apresenta uma reportagem sobre o plantio de hortas em casa. Segundo a herborista e nutricionista Silvia Jeha, a iniciativa do plantio caseiro é importante, pois, além de o consumidor saber de onde vem o próprio alimento, ele terá também muito mais vida e muito menos agrotóxicos do que os vendidos em supermercados e afins.

Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários :

Postar um comentário

.