‘Profissão Repórter’ mostra os traumas provocados em quem sofreu abuso sexual na infância e na adolescência

Os altos índices de casos de abuso sexual de menores de idade no Brasil (50 registros por dia) revelam uma realidade que, muitas vezes, fica escondida, seja por medo, vergonha ou, até mesmo, falta de conhecimento.  O ‘Profissão Repórter’ desta quarta-feira, dia 27, encontra histórias que marcaram tanto as vítimas como os pedófilos. Uma jovem de 23 anos percebeu a violência sexual que sofreu na infância durante uma aula na faculdade, enquanto a professora falava sobre o perfil dos abusadores e de suas vítimas. “Fui para casa e fiquei pensando naquilo e revivi tudo. O que aconteceu comigo durante todo esse período não é normal”, relata a jovem.

Assim como ela, outros dois amigos, agora já maiores de idade, procuraram a polícia, e o vizinho, que dava aulas de informática, foi preso temporariamente. Além de entrevistar os jovens, o repórter Erik von Poser também acompanhou a prisão do acusado. “Vendo aquele homem, eu não imaginaria que ele seria capaz de fazer tudo aquilo. Ouvindo os relatos das vítimas, senti uma mistura de vários sentimentos, como raiva, nojo, vontade de chorar. Apesar de serem todos amigos de infância, eles nunca tinham falado deste assunto entre si”, explica Erik.

Em Porto Alegre, o programa visita a ala dos condenados por crimes sexuais no Presídio Central de Porto Alegre. É lá que Victor Ferreira encontra o caso de um homem que foi condenado pelo estupro da enteada de apenas dez anos – ele passou oito anos foragido. “Durante o tempo em que foi procurado pela justiça, ele usou uma identidade falsa e casou-se com outra mulher, em Goiás, sem que ela soubesse de nada. O que vi no presídio é que a maioria dos presos tem vergonha de falar que cometeu este tipo de crime. É muito delicado quando você está na frente dessas pessoas porque tem perguntas-chave que precisam ser feitas”, conta Ferreira.

Por outro lado, Guilherme Belarmino conta o caso de um homem que foi diagnosticado com pedofilia, ou seja, ele tem um transtorno de preferência sexual que o faz ter desejo por crianças. Depois de ser preso por assistir vídeo de crianças na internet, ele decidiu buscar ajuda e, hoje, está em tratamento com remédios que diminuem a libido. Ele revela como foi contar para a família que sofre do transtorno. Um psiquiatra e um juiz também entram nesta questão e explicam como estes casos são tratados no país.  

O ‘Profissão Repórter’ vai ao ar às quartas-feiras, depois do Futebol.


Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários :

Postar um comentário

.