Saiba tudo sobre Adnight, talk show de Marcelo Adnet

O bairro de Copacabana, no Rio de Janeiro, é conhecido especialmente pela diversidade de seus moradores e visitantes. Foi ali, em um clube urbano, que Marcelo Adnet apresentou o novo ‘Adnight’. Com estreia prevista para 25 de agosto, o late show, assim como o bairro carioca, é formado pelos mais diversos tipos dentro e fora do palco. Para revelar o inusitado de suas personalidades, o programa conta uma equipe plural. “É o programa que eu sempre quis fazer. Cada roteirista tem a liberdade de ser ele mesmo e construímos uma equipe múltipla que se completa. A gente conseguiu montar uma banda incrível, que vai agregar ao programa. Mas o principal é que pedimos que toda a equipe seja muito feliz fazendo o que está fazendo. E quando todo mundo está feliz, tudo funciona muito bem”, resume Adnet.
O apresentador contou ainda que, a cada programa, serão apresentadas dinâmicas customizadas para cada convidado, de forma que as brincadeiras não se repetem. “Os convidados são pessoas que todo mundo conhece muito bem, mas tem algum lado B, ainda não conhecido, para a gente explorar. E, claro, tope brincar”, completa o Adnet. Com presença do diretor-geral Emerson Muzeli, da diretora Fernanda Telles, do roteirista-final Elbio Valente e seu time de roteiristas, o evento foi marcado pelo bom humor característico do programa que revelará, através de dinâmicas e brincadeiras, o lado menos explorado de um convidado especial a cada semana. “Acho que a noite de hoje resume bem o espírito do programa. O papo fluiu aqui assim como flui nas nossas reuniões. É sempre assim quando a gente se reúne. Nem parece trabalho. Saio com o maxilar doendo de tanto rir”, contou Elbio.

No evento, o diretor geral Emerson Muzeli apresentou um clipe com trechos do programa que ilustraram a proposta de ‘Adnight’. “O programa não atende só à TV. Ele transborda para várias mídias. Pensamos na internet, no GloboPlay, em todas as plataformas. Queremos divertir do jovem ao idoso, em todas as classes, a diferentes gostos”, ressalta.

'Adnight' tem direção geral de Emerson Muzeli, direção de Fernanda Telles, e redação final de Elbio Valente e será exibido às quintas-feiras, após ‘Justiça’.

‘ADNIGHT’

Grandes personalidades são reconhecidas por suas funções e influência. Mas, a partir do dia 25 de agosto, Marcelo Adnet vai subverter esse conceito e mostrar seus convidados em situações inimagináveis, longe do que eles representam para imaginário coletivo em seu late show, ‘Adnight'. Com dinâmicas irreverentes, o apresentador revela aspectos inusitados e curiosos de diversos talentos. “Os programas são todos feitos para o convidado da noite e são pensados a partir das possibilidades de interação dele com o Adnet. Um grande nome vira o mote da atração”, adianta o redator-final Elbio Valente que comanda uma equipe de sete redatores com experiência em plataformas variadas.

Em 'Adnight', uma notícia pode virar música. Uma piada pode render um jogo. Não há fórmulas ou receitas prontas, tudo pode acontecer. A rapidez e ousadia caraterísticas do comediante, será ingrediente-chave para tratar também de assuntos atuais sob um olhar crítico e bem-humorado. “O Adnet tem mil e uma facetas artísticas e a gente explora isso no programa. Tem números musicais, muito improviso, números de humor, de intepretação, tudo que o apresentador traz para a gente”, define o diretor-geral Emerson Muzeli. O late show contará também com uma banda e uma trupe acrobática, formadas especialmente para o programa, que irão intervir e contribuir artisticamente ao longo da atração. “A música é muito presente no que quer que eu faça. Ter uma superbanda com sensibilidade para reagir ao programa, é muito legal. Vamos brincar muito com esse recurso”, comemora Adnet.

O cenário onde tudo acontece, assinado por Milton de Biasi, é como uma oficina, um laboratório de experimentação do apresentador e seus convidados. “Tudo naquele galpão, que tem cara de cenário de show, com referências high- tech retrô, serve para o Adnet criar e se movimentar. É um cenário clássico, com boca de cena e plateia, mas que oferece surpresas o tempo todo, com palcos alternativos que revelam outros universos”, comenta o cenógrafo. Passarelas, guindastes, escadas e cases - que mais parecem caixas mágicas de onde tudo pode surgir – são peças móveis que se moldam e desmoldam a cada programa. Em vez de um produtor, de contra-regra, quem faz o papel de transformar esse cenário é a trupe, formada por pessoas com diferentes perfis. “Mais que fazer assistência de palco, ela vai contribuir artisticamente com os números musicais e brincadeiras. Temos artistas circenses, mímicos, atletas, é um time bem diversificado e talentoso”, elogia o apresentador.

Na mesma linha do cenário, o figurino de Claudia Kopke e Flávia Neves acompanha essa versatilidade. “A ideia é que o Adnet possa se descontruir ao longo do programa e que a roupa permita qualquer performance. Há uma elegância, mas, ao mesmo tempo, uma descontração. Os ternos , por exemplo, são de moletom”, revelam as figurinistas. Para a banda, elas partem da individualidade de cada integrante para criar uma unidade. Já a trupe vestirá alfaiataria com referências circenses.

'Adnight' tem direção geral de Emerson Muzeli, direção de Fernanda Telles, e redação final de Elbio Valente e será exibido às quintas-feiras, após ‘Justiça’.

‘Adnight’ por Adnet

O que um late show contribui, em termos de formato, para as dinâmicas que acontecem no palco?

Traz uma coisa muito própria que é a personalidade do apresentador. Então vai ter muito de mim impresso ali no programa e a ideia é desconstruir positivamente os convidados, fazendo arte, surpreendendo. Como não sou entrevistador propriamente, a informação vem das dinâmicas, não tem aquele “momento sofá” tradicional, com perguntas e respostas.

Que tipos de convidados o ‘Adnight’ vai receber?

Pessoas icônicas para o público, que ele conheça bem. Vamos ver essas personalidades que são normalmente sabatinada por diversas mídias - muitas vezes da mesma forma e sobre os mesmos assuntos -, fazendo coisas que elas nunca fizeram e contando coisas que ninguém sabia.

O programa pretende falar para um público específico?

Pretendemos atingir um público bem abrangente, de gerações e posicionamentos diferentes. A intenção é que todos possam se divertir e se surpreender sem constrangimento. Tanto os convidados quanto quem está assistindo também.

Você teve grande participação na formação da equipe de criação do programa. Como é o processo de trabalho de vocês?

Tão importante quanto estar entre pessoas que eu confie e admire profissionalmente é gostar de estar junto delas. A natureza do nosso trabalho é lúdica e nos divertir durante o processo é fundamental. A brincadeira e a informalidade fazem parte. Claro que temos que cumprir demandas, que temos momentos duros, mas trabalhamos felizes e isso faz toda diferença.

O ‘Adnight’ tem uma faceta trasmídia e tem na equipe de roteiristas pessoas que trafegam há bastante tempo na internet. Como é esse movimento?

O programa é desenvolvido para transbordar em outras mídias além da tevê. O grupo de criação já escreve pensando em conteúdos que podem ser distribuídos na rede antes, durante ou depois da exibição na telinha.

Entrevista com o diretor-geral Emerson Muzeli

Qual é a proposta central do ‘Adnight’? Como definir esse programa?

O programa é costurado quase que na roupa do convidado. A proposta é entender essa personalidade além do já sabido a respeito dela, mostrá-la de um jeito jamais visto. Mais do que entrevistas, vamos provocar situações para enxergar esse convidado de uma forma muito humana, através de brincadeiras e dinâmicas. Com muita irreverência e respeito. Dizemos internamente que fazemos humor com amor.

Quais foram as referências que vocês utilizaram para a concepção do programa?

As nossas referências foram programas onde, mais do que só entrevistar ou só brincar com os convidados, seja possível revelar quem eles são e o que pensam de verdade. Como exemplo temos alguns dos grandes lates shows americanos. Mas o mais legal no ‘Adnight’ é que ele é bastante singular.

O factual tem um peso importante para o programa?

O factual vai permear o programa o tempo inteiro, inserido nos números artísticos, nas entrevistas e nas brincadeiras.

A embalagem, o cenário, foi um ponto importante para o desenvolvimento do programa? Qual a importância do cenário para o programa?

Sim. O cenário foi construído com cases, para justamente se moldar ao que a gente precisa na hora do palco, já que cada programa é customizado para o convidado.

Entrevista com o redator-final Elbio Valente

Como é o processo de criação de cada programa?

Começa com a escolha do convidado. A partir daí fazemos um trabalho intenso de pesquisa sobre ele e o resultado é levado para a reunião, onde toda equipe de criação começa a propor coisas para o programa com aquela personalidade. Depois pensamos o melhor momento para abordar cada tópico.

O Adnet participa na criação de alguma forma?

Totalmente. E isso é o mais legal: o programa ter a cara do Adnet, já que ele tem um estilo único de pensar, um olhar peculiar, que influencia diretamente o programa.

O programa é roteirizado, mas conta também com bastante improviso. Como isso funciona?

A gente tem um roteiro, que é um desenho do programa, mas temos um apresentador que improvisa muito bem, então tudo pode sair dali. E a ideia é essa, dar protagonismo ao inusitado.

Teremos algum quadro ou atração fixa nos programas?

A gente tem alguns quadros no programa que podem até voltar a aparecer, no que diz respeito ao formato, mas a nossa proposta é fazer o programa voltado para cada convidado.

Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários :

Postar um comentário

.