Saiba tudo sobre Malhação Pro Dia nascer Feliz

Tem gente que acorda com o pé esquerdo, vive reclamando e sempre acha que a grama do vizinho é mais verde. E tem gente que segue para o treino. Ou passeia com o cachorro. Ou corre para a praia. Ou brinca com os filhos. Ou tudo isso junto. Ufa! Agradece, sorri, age, corre atrás, não se entrega. Assim é Joana (Aline Dias), moça otimista, batalhadora e alto astral que não se deixa abalar diante dos obstáculos da vida.
É nas paradisíacas terras cearenses que Joana cruza os olhos pela primeira vez com Gabriel (Felipe Roque). Competitivo, obstinado e viciado em endorfina, ele é do time dos que tentam ver as situações pelo lado positivo, mas às vezes o orgulho não deixa enxergar muito além dos próprios desejos. O encontro de Joana e Gabriel será uma conturbada obra do destino, que mais para frente tratará de aproximá-los novamente. Desta vez, em um novo cenário: no Rio de Janeiro. Na academia Forma, localizada no fictício bairro de Santa Teresinha, os dois acabarão convivendo e protagonizando muitos conflitos.

Com autoria de Emanuel Jacobina, direção artística de Leonardo Nogueira e direção geral de Adriano Melo, ‘Malhação: Pro Dia Nascer Feliz’ tem estreia prevista para o dia 22 de agosto e fala sobre otimismo e o capacidade pessoal de cada um de transformar a própria realidade. “A ideia é falar sobre o que torna difícil a convivência entre nós brasileiros e sobre quais são os empecilhos pra gente ser feliz”, pontua Emanuel Jacobina.

Ceará: onde tudo começa

As gravações da temporada começaram em cidades paradisíacas do Ceará. Em Aquiraz, as praias e o completo turístico Beach Park serviram como set de gravação. Já em Beberibe, o Morro Branco foi a principal locação. É ali, nas falésias, que Joana adorar caminhar enquanto pensa no futuro e no passado. Nascida no Ceará, ela mora com o padrasto, Agenor (Jackson Antunes), e a mãe dele, que considera sua avó, Dona Damiana (Ilva Niño), desde que a mãe faleceu. Nunca conheceu o pai e vive matutando se teria irmãos, tios, avós biológicos... Sente a necessidade de preencher algumas lacunas de sua história, principalmente porque a convivência em casa não é das melhores.

Ela trabalha no complexo aquático e se destaca por seu profissionalismo e proatividade. Divide a rotina no batente com a melhor amiga, Sula (Malu Falangola). As duas sonham com um futuro promissor, mas Sula não é tão corajosa para se jogar no mundo como Joana. Aliás, seu jeito sutil e desbravado algumas vezes a leva a desempenhar funções além das que estão no contrato. Um dia, o supervisor de Joana, já sabendo de todo seu traquejo para falar com as pessoas, pede que ela chame atenção de um casal que estaria namorando mais calorosamente na piscina do espaço. Joana vai até o local e encontra os tais pombinhos apaixonados. São Gabriel (Felipe Roque) e Barbara (Barbara França).

Gabriel é natural do Rio de Janeiro e joga vôlei profissionalmente com o irmão, Giovane (Ricardo Vianna). Eles viajaram para Fortaleza para participar de um campeonato e, com a dupla, estão as irmãs Barbara (Barbara França) e Juliana (Giulia Gayoso). Os irmãos ganham o campeonato e só querem saber de curtir os dias de folga. É quando Joana encontra Gabriel e Barbara comemorando a conquista na piscina. Com toda educação que lhe é característica, ela conta que umas pessoas teriam se constrangido com eles. Com toda rispidez e soberba que tem, Barbara mal olha nos olhos de Joana e ainda repreende Gabriel por ser cordial com a funcionária. Joana precisa relevar o tratamento desrespeitoso da visitante, mas depois desabafa com Sula. Grosseria e injustiça são as únicas coisas que a tiram do sério.

Depois de um atribulado dia no trabalho, nada melhor que ir para a praia. Joana e as amigas vão correndo para o mar esquecer os problemas com muita diversão na água. Numa dessas, Sula acaba perdendo a parte de cima do biquini e elas começam a buscar o item perdido. Joana vai até a areia e é ali, à beira-mar, que o encontra. A peça acabou sendo levada pelas ondas até os pés de um rapaz. É Gabriel, desta vez, sozinho. Longe das vistas de Barbara, ele chega a fazer uma brincadeira, perguntando se teria alguma “donzela desprotegida” por ali. Sem dar abertura, Joana cata o biquíni e volta para o mar, deixando Gabriel instigado.

Com autoria de Emanuel Jacobina, direção artística de Leonardo Nogueira e direção geral de Adriano Melo, ‘Malhação: Pro Dia Nascer Feliz’ tem estreia prevista para o dia 22 de agosto e fala sobre otimismo e o capacidade pessoal de cada um de transformar a própria realidade.

A escolha de Joana
O episódio na praia logo chega aos ouvidos de Agenor (Jackson Antunes), que acha “pouca vergonha” Joana ter se envolvido no incidente. É a deixa para o padrasto iniciar uma discussão e destilar grosserias, como de costume. Desta vez, ele explode e dá um ultimato para a moça: ou ela se enquadra nas ordens dele, ou vai embora.
Disposta a não se submeter mais aos mandos e desmandos do padrasto, Joana decide sair de casa. Ela se despede com carinho de Damiana, que conhece o temperamento do filho mas nada pode fazer para impedir tamanha arbitrariedade, e parte rumo ao Rio de Janeiro. Joana tem a esperança de encontrar novas oportunidades e, quem sabe, construir laços familiares.
A vida em função do vôlei
Gabriel (Felipe Roque) e Giovane (Ricardo Vianna) são uma promessa no vôlei de praia. Foram preparados por Jorjão (Oscar Magrini) desde o início da carreira e sonham com muitos títulos. Jorjão, um boa praça prestes a chegar à terceira idade que esbanja saúde, é mais que um preparador: é a figura masculina para os irmãos, que moram apenas com a mãe, Irene (Louise Cardoso).
Animada e otimista, Irene é viúva e batalhou sozinha como costureira para criar os filhos. As dificuldades financeiras e a simplicidade da mãe inquietam Gabriel, que sonha alto. Ele não mede esforços para conseguir o que quer, mesmo que sacrifique a felicidade, a própria e a de outros. É ambicioso e, algumas vezes, deixa o lado bon vivant falar mais alto. Já Giovane é responsável e extremamente dedicado. Começou a jogar vôlei por causa do irmão mais velho e acredita que o esporte fará com que ele ganhe autoconfiança e se solte mais. Agora, a dupla passa a ser patrocinada pela academia Forma e terá que acatar algumas exigências se quiserem continuar em busca do sonho de se tornarem campeões.
Forma é a academia erguida por Ricardo (Marcos Pasquim), ex-jogador de vôlei que investe em Gabriel e Giovane desejando que os meninos sejam referência do empreendimento. Para isso, resolve delegar os treinos deles a quem considera especialista no assunto, Caio (Thiago Fragoso). Mas a convivência não será tão fácil assim. Ricardo e Caio também viveram em função do vôlei. Eles formaram uma dupla de vôlei de sucesso no passado e, na época, Caio apresentou a irmã ao parceiro. Eles casaram e tiveram três filhas, Barbara (Barbara França), Juliana (Giulia Gayoso) e Manuela (Milena Melo).
A convivência familiar era harmônica até o dia em que a esposa de Ricardo sofreu um acidente e morreu. Caio culpa o cunhado pelo falecimento da irmã e a relação entre eles é conturbada desde então. Todas essas divergências familiares ficam de lado, a princípio, e Ricardo convida Caio para treinar Gabriel e Giovane. A primeira exigência de Caio é que Jorjão seja afastado para assumir uma dupla função, a de treinador e preparador físico. Jorjão fica balançado com a notícia, mas sabe reconhecer a implacável realidade de que envelheceu e talvez tenha ficado ultrapassado.
Gabriel fica revoltado quando descobre que Jorjão foi descartado e até tenta se valer do fato de namorar Barbara, a filha do patrocinador, para mudar a situação. Tudo em vão. Ele precisará engolir Caio e sua metodologia extenuante de exercícios se quiser continuar a buscar seus objetivos.
A família de Ricardo Carvalho
Ex-atleta, Ricardo (Marcos Pasquim) foi campeão de vôlei de praia na juventude ao lado de Caio (Thiago Fragoso) e coleciona fãs. Chegou a treinar duplas de sucesso, virou palestrante motivacional e, eventualmente, é também comentarista de TV. Tenta reconstruir a vida após a morte da esposa e mãe de suas filhas. Agora, ele só pensa na academia Forma e em transformá-la numa referência no ramo fitness. Parte da notoriedade de Ricardo se deve a Tita (Paula Possani). Divorciada, inteligente e dona de uma empresa de eventos, ela usa seus contatos na mídia estrategicamente para dar ainda mais prestígio a Ricardo.
A primogênita de Ricardo é Barbara (Barbara França), competitiva, disciplinada e de personalidade forte. Ao mesmo tempo em que tenta ser o reflexo do pai, é também o braço-direito dele na administração da Forma e em casa. Ela faz tudo para agradar o pai / patrão, que sempre exige mais comprometimento e resultado, seja em casa ou no trabalho. Barbara namora Gabriel e sonha em construir uma família ao lado dele. Mas o jovem faz de tudo para evitar um compromisso mais sério com Bárbara porque percebe que não é por ela que sente o amor genuíno.
Juliana (Giulia Gayoso) é a filha do meio de Ricardo. Impulsiva, irreverente e debochada, que preza pela liberdade acima de tudo. Ela e o pai vivem em constante conflito. Exigente e disciplinador, Ricardo tem dificuldade de entender o comportamento da filha, já que ela se recusa a seguir seus valores. Nutre uma paixão por Giovane (Ricardo Vianna), mas o rapaz só a vê como amiga. É uma das líderes do terceiro ano no colégio Dom Fernão, onde estuda.
A caçula de Ricardo é Manuela (Milena Melo), que esconde seu lado doce atrás de uma atitude firme e de confronto. Esse comportamento, na verdade, representa uma carência afetiva causada pela morte da mãe. Manu treina artes marciais na academia como forma de encontrar a autonomia emocional que ainda não tem. Ela estuda no colégio Dom Fernão onde, a cada dia, protagoniza uma indisposição com os irmãos e novos alunos Fábio (Caio Manhente) e Luiza (Barbara Maia). Como sente e ausência paterna, acaba buscando conforto no colo do tio e padrinho Caio (Thiago Fragoso), deixando a relação entre os dois ainda mais complicada.
Caio sempre se mostrou um tio presente e carinhoso com Barbara, Juliana e Manuela e a desavença entre ele e Ricardo não afetou a relação próxima que tem com as sobrinhas. Apesar de ressentido, Ricardo reconhece o amor de Caio pelas filhas e não acha justo privá-las da convivência com o tio. Mas eles não têm uma relação íntima. Resguardam-se apenas às formalidades. Como treinador de Gabriel e Giovane, Caio tem certo prazer em criar uma rotina extenuante de treinos. Perfeccionista e autoritário, tem particular interesse em desmoralizar Gabriel por achá-lo pouco comprometido.
No fundo, Caio sente uma ponta de inveja de Ricardo. Queria ter a família e a admiração que o ex-cunhado conquistou. O embate entre os dois envolve questões familiares e profissionais e ficará ainda mais complexo com a chegada de Tânia (Deborah Secco), que atrairá o interesse dos dois, à rotina da academia Forma.
A chegada de Tânia: novos conflitos
Tânia (Deborah Secco) é mãe solteira dos adolescentes Luiza (Barbara Maia) e Fabio (Caio Manhente). Foi abandonada pelo marido quando os filhos ainda eram pequenos. Afetuosa, forte e batalhadora, sempre coloca as prioridades dos dois antes mesmo de suas próprias necessidades. Depois de um longo período desempregada e muitos currículos enviados, Tânia finalmente consegue um trabalho como recepcionista na academia Forma.
Madura e centrada, Luiza é o braço direito de Tânia nos afazeres domésticos, enquanto Fabio sempre chega em casa com algum histórico de confusão no colégio, especialmente com a colega de turma Manuela (Milena Melo). Por azar do destino, Manu é justamente a filha caçula de Ricardo, chefe de Tânia.
O relacionamento entre patrão e funcionária começa de forma profissional e eles logo se descobrirão em um impasse por conta das divergências escolares entre seus filhos. Mas, aos poucos, nasce uma aproximação que vai migrar da intolerância para o amor. Tânia se envolverá com Ricardo, mas também terá sua história atravessada por Caio, que vai investir na atenção dela.
O reencontro de Joana e Gabriel no Rio de Janeiro
Quando Joana (Aline Dias) chega ao Rio, vai direto bater na porta de Tânia, melhor amiga de sua falecida mãe. Da entrada principal de casa, ela avista uma moça com o semblante igual ao da saudosa amiga e não hesita em acolhê-la. Faz questão de que a moça fique ali o tempo que precisar. A casa é pequena, mas é igual coração de mãe: sempre cabe mais um.
Joana chega ansiosa por escrever a própria história e, para começar, precisa conseguir um novo trabalho. Ela se arruma toda para um recrutamento de emprego, mas, no caminho, acaba tendo a carteira furtada e perde documentos e dinheiro. Sem condições de pagar um transporte, vai andando até o endereço. Chega ao local suada e cansada, avista uma fila enorme, mas não abaixa a cabeça. Todo sacrifício é em vão: a vaga é preenchida antes mesmo de Joana ser atendida.
Na volta para casa, sem um tostão no bolso, fica sentada no ponto aguardando que algum motorista de ônibus acredite em sua história azarada e dê uma carona. Nessa espera, chega Gabriel. Ele a reconhece na hora, afinal, nunca esqueceria aquele rosto doce e iluminado. Joana demora a lembrar de Gabriel, o “hóspede abusado”, e fica até com medo de dar conversa. Afinal, já ouviu muita história sobre aproveitadores na cidade grande. Desconfiada, ela conta o que passou e faz sinal rápido para o ônibus que se aproxima alegando que não precisa de ajuda.
Por coincidência, Gabriel também tem que pegar a mesma linha para ir para casa e acaba embarcando com ela. Os dois saltam no mesmo ponto e Joana não abre a guarda nem mesmo na despedida. Agradece com um aperto de mão e sai em disparada, tentando disfarçar o destino final. Gabriel a segue com os olhos, encantado, e nem passa pela sua cabeça o compromisso que tem com Barbara (Barbara França).  
Joana não desanima diante do que passou. Descobre uma oportunidade para faxineira na Forma e logo se candidata. A responsável pelas contratações é Barbara, mas, no dia da entrevista de emprego, está ocupada demais namorando Gabriel às escuras e a função acaba sobrando para Ricardo. Ele se surpreende com a história e coragem da candidata e decide dar uma chance. Joana promete que ele não vai se arrepender.
Um dia, ao fim do expediente, Joana está terminando suas funções quando observa um jogo de vôlei na quadra de areia. Ela repara no jogador alto, forte e de cabelos cacheados, e reconhece Gabriel. Ele retribui o olhar, sem conseguir enxergar ao certo quem é. O rapaz volta ao treino e, quando mergulha para receber uma bola, acaba sofrendo uma pancada. Ele cai gemendo e Joana logo aparece para saber se está tudo bem. Em seguida surge Barbara, que só então conhece a nova funcionária e não gosta nada de vê-la próxima ao namorado.
Aos poucos, Barbara terá ainda menos motivos para aprovar a presença de Joana ali. Afinal, a funcionária tem uma inquietação e uma vontade de crescer únicas dentro de si. Ela demonstra a simpatia e gentileza que faltam em Barbara e muita presteza, senso de observação e criatividade que acabam chamando atenção de Ricardo. Além de parecer dispensável como empreendedora para o pai / patrão, Barbara sente que Joana pode ser uma ameaça para o relacionamento com Gabriel. Ela tem razão em se sentir ameaçada: Joana tem todas as características que atraem o jogador.
A chegada da moça também vai causar uma transformação na vida de Giovane (Ricardo Vianna). Eles se tornam amigos e confidentes e a admiração pela moça evolui para uma paixão que ele tem dificuldades em declarar. Pela primeira vez, os irmãos Gabriel e Giovane, parceiros nas quadras, vão se ver em lados opostos de um jogo. O jogo do amor.

A academia Forma: funcionários e atletas
A academia Forma é o mais novo empreendimento do fictício bairro de Santa Teresinha, no Rio de Janeiro.  Ela ocupa o prédio mais belo da região, projetado para ser uma academia de primeiro mundo. Mais que um espaço para atividades esportivas, a Forma é uma área de convivência que será o cenário de muitos encontros e desencontros. A socialização é a busca da maioria dos frequentadores.
Tudo é vigiado de perto por Barbara (Barbara França). Além de ser adepta do ballet fitness, a moça administra o espaço ao lado do pai. Mas não tem habilidade em lidar com os funcionários. Como é representante de Ricardo, exerce sua autoridade sem muitas dificuldades.
Tânia (Deborah Secco) divide o posto de recepcionista da academia com Jéssica (Laryssa Ayres). Recém-formada no terceiro ano do colégio Dom Fernão, Jéssica continua a mesma moça extrovertida. Ela gosta do trabalho dinâmico na academia, mas não suporta o comportamento expansivo de Belloto (Sérgio Malheiro). Bonito e galanteador, ele é um professor falastrão que vive mandando indiretas para as colegas de trabalho, especialmente para Jéssica.  Os dois conviverão às turras, numa relação de gato e rato. Belloto também começa a dar aula no colégio Dom Fernão. Mas, lá, vira o homem mais sério e contido de todos.
Nanda (Amanda de Godoi) também começa a trabalhar na Forma, como assistente de Barbara. Aquela moça alegre e espontânea continua ali, mas escondido sobre o luto pelo namorado falecido. Graças à insistência de Jéssica, ela se candidata ao novo emprego, onde transita por todos os assuntos da academia e tem uma relação atrapalhada e, às vezes, divertida com a chefe. Durante o dia a dia do trabalho, conhece Rômulo (Juliano Laham), que vai ajudá-la a ter um novo olhar sobre a vida diante da recente perda.
Criado em um orfanato, Rômulo vive sozinho no mundo. Ele é fanático por boxe e se matricula na Forma a fim de se aprimorar na modalidade. Não tem dinheiro para pagar sequer um aluguel e, por isso, começa a morar escondido nas dependências da academia, sempre com a esperança de um novo amanhã. Durante os treinos diante de um saco de areia, ele acaba atraindo atenção de Jorjão (Oscar Magrini), que antes de virar preparador físico, chegou a lutar boxe profissionalmente.
Jorjão fica impressionado por ver alguém tão jovem interessado no esporte e logo se aproxima para ensinar a manha de um golpe certeiro. Rômulo não perde a chance de convidá-lo para ser seu treinador, mas Jorjão recusa, já que não é mais empregado da Forma desde que foi distanciado dos treinos de Gabriel e Giovane. O aspirante a boxeador, no entanto, não vai desistir tão cedo de Jorjão ensiná-lo a arte do boxe.
Enquanto isso, Jorjão é o maior incentivador de Irene (Louise Cardoso) nos treinos na academia. Se por um lado Jorjão estimula Irene, por outro, Irene tenta aplacar o ressentimento do amigo com o vazio que tomou conta da vida ao perder a função de preparador físico dos meninos. A proximidade entre os dois faz nascer um amor maduro e cheio de desafios. Jorjão, no entanto, acha que deve fidelidade à memória do marido de Irene e seu falecido amigo.
O Hostel e os novos administradores
O Hostel continua como um dos pontos principais de Santa Teresinha, mas conta com novos administradores: Cleyton (Nego do Borel) e Krica (Cynthia Senek), que estão “grávidos” de nove meses. Ele transborda alegria e ansiedade pela chegada dos herdeiros, mas Krica se irrita facilmente por quase tudo.
Com as horas dedicadas ao trabalho e às preocupações de ambos com a gravidez, sobra pouco tempo para o casal explorar o romantismo e a vida a dois. Krica tem quase certeza de que Cleyton não sente atração por ela e vive imaginando as horas que terá que gastar na academia ou os tratamentos estéticos que precisará fazer após a gravidez.
Dom Fernão e a criação do MOFO
O Dom Fernão também continua no bairro e recebe alguns alunos egressos do Leal Brazil, após o fechamento da unidade. A triste novidade é que a instituição parece ainda mais abandonada por causa de uma obra inacabada nos fundos do colégio. O futuro do espaço é incerto. Como o novo diretor, Correa (Carlos Bonow), costuma dizer sobre as questões pertinentes ao colégio, a situação está “nas mãos do secretário”. Correa está mais preocupado com sua reputação e com a imagem do próprio colégio do que com as reclamações dos alunos.
Sem qualquer posicionamento oficial sobre a obra, um grupo de cinco alunos do terceiro ano, inconformados, logo tem uma ideia para resolver esse problema. Eles criam o MOFO (Movimento Organizado do Fundo de Obra). É um local para fazer um som, conversar sobre sonhos e trocar ideias em prol da melhoria da situação da escola.
Juliana (Giulia Gayoso) é uma das criadoras do MOFO. Ela faz o tipo rebelde, quer liberdade e não acata as ordens do pai, Ricardo (Marcos Pasquim). Por isso, cada vez mais adota comportamentos desafiadores. Ela e Lucas (Bruno Guedes) vivem se confrontando. Lucas é um dos líderes do espaço, um inconformado com a situação do colégio desde a chegada de Correa. Adora grafitar e vai deixar sua arte na parece do espaço.
A melhor amiga de Lucas é Martinha (Malu Pizzatto), irmã de Jéssica (Laryssa Ayres). A moça é extrovertida, engajada e só tem olhos para Jabá (Fabio Scalon). Aluno repetente e vaidoso, Jabá é completamente alienado de qualquer assunto ligado à educação ou à política. É o melhor amigo de Giovane (Felipe Roque) e, algumas vezes, se espelha no amigo. Pratica vôlei e adora impressionar as meninas com seu desempenho. Aliás, as disputas entre Jabá e Junior (Matheus Dias), o quinto integrante do MOFO, pela quadra de vôlei do Dom Fernão são conhecidas. Júnior é bom aluno, tímido e mora com a mãe, Conceição (Zezeh Barbosa). Ele sonha em jogar vôlei profissionalmente e, para isso, vai batalhar para ser treinado na academia Forma.
Nas palavras de Corrêa, o MOFO é liderado pela “pior turma que já passou pelo Dom Fernão”. São as mentes mais complicadas de lidar e de comportamento mais difíceis de controlar. Mas o MOFO desperta o interesse de toda a escola e vários alunos de outras séries tentam entrar. É o caso de Arthur (Gabriel Kaufmann) e Eduardo, o Dodô (Gabriel Montenegro). Galhofeiro, Arthur é uma figura lendária no Dom Fernão pelas mentiras compulsivas que conta. Dodô não fica atrás. Adora mostrar seu talento como mágico, especialmente para a doce Isabela, a Belinha (Valentina Prado). Arthur e Dodô sonham com o prestígio de entrar no MOFO e, para isso, vão até se submeter a alguns falsos “ritos de passagem” propostos por Jabá.
Arte e Cenografia: Riqueza nos detalhes do esporte ao estudo, passando pelo lazer
A temporada volta às origens de ‘Malhação’ ao trazer uma academia como um dos principais panos de fundo. A diferença da Forma para as primeiras academias da série está, em grande parte, na variedade de atividades oferecidas. Segundo o cenógrafo Alexis Pabliano, o espaço atual é marcado por um design moderno e conta com recepção, lanchonete, área de musculação, spinning, ballet fitness, crossfit e até quadra de vôlei. Tudo distribuído em 738m².
Todas as atividades funcionam para valer: o crossfit, por exemplo, é um box de 84m² construído com parede de alvenaria para prender as estruturas de ferro e possibilitar um treino real. Nas paredes, uma frase motivacional e imagens de atletas em movimento. “Pesquisei várias academias pelo mundo. A ideia era trazer um boxe multifuncional com aparência de industrial. Além do crossfit, teremos personagem que treinam jiu-jitsu e boxe ali. É uma caixa multiuso”, explica. Na área externa da Forma, que mede 246m², ficam localizadas arquibancadas, deck de madeira e a quadra de areia onde Gabriel e Giovane passam boa parte treinando.
Como foi construída com a ideia de ser referência no ramo fitness, a academia preza pela identidade visual e conta com itens personalizados. A produção de arte, conduzida por Anna Helena Saical, criou a marca da Forma para customizar colchonetes, sacos de areia, entre outros itens. A Forma tem um tom neutro na madeira e no cinza. Produtos e sinalizações seguem a cor laranja. “A gente buscou um conceito de academia enxuta, porém atual, com equipamentos top e superfuncionais”, conta Anna Helena. No escritório de Ricardo (Marcos Pasquim), haverá um espaço em que ficarão expostos troféus e medalhas conquistados como jogador de vôlei, tudo produzido pela equipe de arte.
A cenografia da temporada também aposta em sustentabilidade na criação e no design de diversos espaços da cidade cenográfica, uma área de 5.042m². A novidade do colégio público Dom Fernão é a criação do MOFO (Movimento Organizado do Fundo de Obra), área da escola em que há uma obra abandonada e passa a funcionar como point dos alunos. A questão da sustentabilidade está na construção da cenografia e na trama: os alunos reaproveitam material da obra inacabada para composições artísticas ou construção de móveis.
Para isso, vão usar latas, carrinho de mão, escada, tubulação e outros materiais. Um pedaço de janela veneziana pode virar um porta-recado, por exemplo. “O MOFO é um lugar para os jovens trocarem ideias e se sentirem à vontade. A gente orientou o pessoal da obra que está trabalhando na Cidade Cenográfica a separar todos os elementos que possam ser reaproveitados”, explica Alexis. “O espaço tem a identidade dos jovens: tem grafite na parede, instrumentos musicais, skate, pintura, entre outros”, pontua Anna Helena.
Outra novidade da temporada é a lanchonete Vitamina. A estética dá valor à simplicidade: o piso é de cimento queimado e as paredes contam com grafismo e plantas. Haverá um ambiente de convivência com vitrola e discos dispostos na parede. O cardápio também segue a linha natural e contará com sucos orgânicos. Além disso, haverá um food truck com estética retrô. Ele contará com um “varal” de luzes iluminando o entorno, especialmente nas gravações noturnas.
O apartamento de Ricardo tem acabamento de madeira e cimento. É composto por móveis modernos e alguns itens que vêm de herança de família. O escritório que tem em casa fica numa localização privilegiada possibilitando que ele observe tudo: quem está vendo TV e quem chega à casa, por exemplo,  evidenciando seu lado controlador. Já o sobrado de Irene (Louise Cardoso) tem um toque de juventude por conta dos filhos Gabriel e Giovane. Há elementos de esporte em cada cantinho, desde bicicletas penduradas embaixo da escada até pranchas de surf expostas na parede. Já o lar de Tânia (Deborah Secco) é simples e acolhedor. Na cozinha, a geladeira retrô chama atenção. Como a personagem é caprichosa e gosta de dar seu toque, há alguns elementos pela casa produzidos manualmente, como uma colcha de crochê. Ainda haverá muitas plantas alegrando os ambientes.
Figurino e caracterização em função da naturalidade
A vivacidade e a naturalidade são as principais marcas da caracterização dos personagens, sempre dialogando com a linguagem alegre proposta pelo título. “Nossa ideia é trabalhar com cores vibrantes, solares, que embelezem e tenham naturalidade, especialmente pela forte presença do esporte na trama. Trazemos um cabelo mais despojado, com movimento”, explica o caracterizador Ralph Araújo.

Para as gravações no Ceará, a figurinista Sabrina Moreira preparou 10 malas de roupa. Como a maioria das locações foi realizada em praia e piscina, a equipe levou mais de 70 biquínis e 40 sungas para elenco e figuração. Joana (Aline Dias) adora usar cropped, peças de crochê e estampa de chita. “Ela veste cores quentes: laranja, amarelo, vinho. Além disso, gosta de acessórios praianos, como palha e búzios”, detalha Sabrina. Na maquiagem, é adepta de tons nudes.

Já Barbara (Barbara França) usa roupas minimalistas com traços geométricos, linhas retas e vestidos colados nas cores preto, branco, cinza. A maquiagem também segue a linha neutra. “Ela tem um quê de empresária sem perder a juventude”, pontua Sabrina. Gabriel (Felipe Roque) conta com as dicas da namorada, Barbara, para se vestir. Usa camisa de corte raglan sem muitas estampas.  O irmão, Giovane (Ricardo Vianna), tem um estilo voltado para o surfwear.

Tânia (Deborah Secco), antes de tudo, é uma mãezona e não tem muito tempo para investir na vaidade. Tem bastantes saias midi e blusa casche couer no guarda-roupa. “Ela é uma mulher mais popular, usa decote sem vulgaridade. Segue paletas vinho e verde musgo”, diz Sabrina. Já Juliana (Giulia Gayoso) é rebelde e segue um estilo punk e exótico nas sombras, esmaltes e batom.

Entrevista com o autor Emanuel Jacobina

Conte um pouco sobre as principais tramas desta temporada.
Esta é uma história que se passa em um bairro de subúrbio do Rio de Janeiro que hospeda uma nova academia de ginástica, a Forma, e um colégio público, o Dom Fernão. Vamos falar sobre os empecilhos para alcançar a felicidade. Estamos falando de uma história na qual existem conflitos de classe, dificuldade de encontrar o próprio lugar dentro da própria família, dificuldade dos mais velhos de conviver com a juventude e vice-versa, entre outros temas. A Joana, nossa protagonista, vem do interior buscando descobrir uma identidade familiar e tudo o que há de bom que uma cidade grande pode oferecer. A trajetória dela vai agregando pessoas à própria história. Temos uma segunda parte importante que diz respeito à disputa entre dois homens que já foram amigos, Ricardo e Caio. Competitivos como são, os dois acabam se interessando pela mesma mulher, Tânia. Todas essas histórias vão acabar se cruzando.

Você foi um dos criadores de ‘Malhação’. Nesta temporada, voltamos com uma academia. Quais as diferenças entre as academias?
O universo da academia é completamente diferente. Antigamente elas eram mais simples, se resumiam às áreas de musculação, aeróbica e salas de treino funcional. Hoje em dia temos dezenas de aulas, dança e atividades de bem-estar. A gente vai ter uma academia que significa um lugar de socialização e de superação de conflitos. Os personagens vão ter que romper seus padrões de comportamento e mudar de atitude para conviverem bem nesse espaço. Praticamente todos os personagens farão atividades, uns por obrigação e outros por prazer.

O título da temporada é ‘Pro Dia Nascer Feliz’. Como será abordado esse tema?
A primeira coisa é mostrar a necessidade de interação interpessoal. É impossível ser feliz sozinho. Partindo disso, vamos tratar da necessidade de interação interpessoal, possibilidade de fazer exercícios, superar as dificuldades, celebrar a juventude e sua história de vida na busca pela felicidade.

Qual será a importância do Dom Fernão nesta temporada, que já não traz mais o embate entre duas escolas públicas com ensinos opostos? E ainda teremos o Mofo (Movimento do Fundo de Obra), um espaço de posicionamento dos alunos.
Eu vou usar elementos para falar de assuntos importantes em relação à educação sem perder o foco do divertimento. As tentativas de reivindicação por melhorias dentro das escola geram conteúdo criativo dessa geração. Esses garotos que ocupam as escolas fazem vídeos, dançam, criam paródias e é isso que vou abordar no MOFO.

Como é seguir com a parceria com os diretores Leonardo Nogueira e Adriano Melo?
O Adriano e o Leo são fantásticos e são meus amigos antes de serem diretores. Tudo entre a gente é conversado. A gente dá tempo para amadurecer as ideias e chegar às conclusões necessárias. Nós somos humanistas, no sentido de valorizar quem está perto da gente. Isso faz com que valorizemos a relação que temos.
Entrevista com o diretor artístico Leonardo Nogueira

‘Malhação: Pro Dia Nascer Feliz’, como o próprio nome aponta, é uma novela viva, solar, alegre. Como é o trabalho da direção para imprimir essa característica?
Nada melhor do que começar as gravações no Ceará, um lugar ensolarado, alto astral, com praias e falésias lindas para que o nosso dia nasça sempre mais feliz. Por mais que nossa história aqui no Rio de Janeiro e traga muitas sequências ao ar livre, o nordeste tem uma luz diferente e uma conjuntura de fatores naturais que nos levaram a começar a contar essa história por lá. Nós iniciamos apresentando nossa protagonista, a Joana.

‘Pro Dia Nascer Feliz’ é uma sequência de ‘Seu Lugar no Mundo’ com novas histórias e a continuação de alguns personagens e panos de fundo, como o Dom Fernão e o Hostel. O que os espectadores cativos de SLM poderão identificar de familiar em termos de direção?
A maneira de contar a história, com uma direção ágil, movimentada, que sempre busca aproximar a câmera do elenco e trazer o público para perto, vai permanecer. O conceito segue, mas muda a atmosfera, a história, o dia a dia. Teremos mais praia, por exemplo. É pegar o desenho que temos e colocar nessa nova vida que o Jacobina está criando.

A temporada tem uma academia como um dos cenários principais, assim como nos primeiros anos de ‘Malhação’. Qual é a identidade da Forma? Como está sendo a preparação do elenco?
A gente está numa época em que as pessoas querem se cuidar, estão preocupadas com a estética e têm um cuidado com a saúde. Hoje vivemos uma fase quente, em que existem inúmeras aulas e métodos. Todos estão fazendo uma preparação específica de acordo com suas respectivas habilidades, como vôlei e boxe. Melhor ainda é misturar academia e escola. A gente manteve o Dom Fernão, que é uma escola que lembra nossa infância. Essa mistura vai trazer uma energia diferente.

Já é tradição de Malhação lançar talentos. Nesta temporada, temos nomes como Deborah Secco, Thiago Fragoso, Marcos Pasquim, Louise Cardoso, além de Aline Dias, Felipe Roque, Barbara França e outras apostas. Você sente alguma diferença entre dirigir veteranos e estreantes? De que forma os atores com carreiras já consagradas contribuem no set e na troca com os novatos?
Esta é minha sexta temporada, já fiz como diretor, diretor geral, diretor artístico... E vi muita gente crescendo na carreira. Fazer Malhação é muito legal e diferente de tudo porque, por mais que a gente faça uma grande seleção do elenco, grande parte é uma aposta. É uma turma que sonha, que vê o início de um futuro. É um celeiro não só para atores, como para profissionais de todos os departamentos: diretor, autor, figurino, arte, continuísta, editor. Esse encontro dos estreantes com os mais experientes é sempre um barato. Dá um frio na barriga em ambos os lados. Eles se agregam logo na leitura, é um encontro muito caloroso. Os mais experientes querem logo dar um colo, falam que adorou o filho, o irmão... A maior diferença é o cuidado com aquele ator que está iniciando a carreira porque é igual criança: ele está andando para a vida, está aprendendo a engatinhar, a saber a posição da câmera, da luz, etc, coisas que os mais velhos já sabem de reflexo de tanto praticarem. É igual exercício: vai aprendendo com a prática. E Malhação permite exercitar muito.

Você está emendando um trabalho em conjunto com Emanuel Jacobina. Como é a parceria entre vocês?
A gente já tem junto mais de 500 capítulos até hoje. E, para o próximo ano, serão quase 700. A gente começou em 2010 quando eu era diretor geral. Foi um convívio intenso. Nós já somos amigos e nos conhecemos muito bem. Temos uma facilidade no dia a dia, no entendimento da história, espaço para criticar abertamente e um formato de trabalhar que dá certo. É ainda mais incrível trabalhar com ele porque ele entende a cabeça do jovem e sabe muito bem escrever para esse público.

E a parceria com Adriano Melo, que também está na direção geral?
O Adriano vem da minha geração. Nós fomos assistentes de direção juntos e hoje eu tenho a alegria de poder dar a direção geral pra ele. Para mim, é uma segurança, uma felicidade e uma facilidade ter o Adriano ao meu lado, que é um cara que fala e comunica muito bem com o jovem. Ele é prático, um gestor incrível e tem uma ótima liderança de equipe.

Você está envolvido em três projetos paralelos: ‘Malhação: Seu Lugar no Mundo’, ‘Malhação: Pro Dia Nascer Feliz’ e a próxima novela das seis, ‘Sol Nascente’. Qual é o maior desafio em dirigir três projetos? Como administra seu tempo?
Um planejamento bem executado facilita demais o trabalho. Desde quando soubemos dessa junção de projetos, começamos a fazer uma programação. Eu conto com uma equipe de direção e produção que me ajuda no dia a dia e tenho dois diretores gerais que são de total confiança, o Adriano Melo, aqui em ‘Malhação: Pro Dia Nascer Feliz’, e o Marcelo Travesso em ‘Sol Nascente’. Os cronogramas são milimétricos e eu aproveito os deslocamentos de gravação para ler bloco de capitulo, decupar uma sequência, fazer ligação, responder email... A gente tenta otimizar da melhor maneira possível.
Entrevista com o diretor-geral Adriano Melo

‘Malhação: Pro Dia Nascer Feliz’, como o próprio nome aponta, é uma novela viva, solar, alegre. Como é o trabalho da direção para imprimir essa característica?
Primeiro nós temos que pensar que estamos trabalhando com jovem. A ideia é trazer a solaridade que o próprio jovem já tem na fotografia, na linguagem, em todos os aspectos do produto... Nós estamos imprimindo uma visão ao que o texto diz e tudo faz parte de um trabalho em conjunto entre todos os departamentos.

A temporada tem uma academia como um dos cenários principais. Qual é a identidade da Forma?
Hoje em dia, o pessoal gosta bastante de academia e a vê como um ponto de encontro. As pessoas vão fazer aulas de grupo, há um desejo de socialização muito grande nesse espaço.

Como é a troca entre atores estreantes e veteranos no set e nos bastidores?
Acho um grande barato esse encontro! Uma das características de Malhação é lançar novos talentos ao lado de veteranos que tem uma carreira consolidada. Eles acolhem essa meninada. É uma delicia, todo mundo é muito parceiro e aprende demais!

Neste ano, você assumiu a direção geral de um produto. Houve uma mudança muito grande na rotina de trabalho? Quais são as novas atribuições?
No meio do processo de ‘Seu Lugar no Mundo’, fui diretor-geral e agora, em ‘Pro Dia Nascer Feliz’, sigo nesta função com a mão do Leonardo Nogueira. Cresce muito a responsabilidade e o desafio. A gente tem que cuidar de um todo, não mais do set. Isso traz uma complexidade, demanda mais tempo e dá um prazer porque você vai deixando sua assinatura no produto.

Como é a parceria entre você e o diretor artístico Leonardo Nogueira e o autor Emanuel Jacobina?
O Leonardo é meu melhor amigo de vida. Nós fomos assistentes de direção em ‘América’ e trabalhamos muito juntos depois. A gente se entende no olhar. Nós somos muito amigos, mas conseguimos nos distanciar para realizar o trabalho da melhor forma. Tenho profundo respeito e orgulho do Leo, que é um  excelente parceiro, gestor e diretor. Ele me dá liberdade para trabalhar, está sempre me ouvindo e dando dons conselhos. O Jacobina é outra pessoa muito fácil para trabalhar e é uma grata surpresa estar com ele de novo. Ele é muito acessível, nós conversamos e trocamos sobre tudo. Além disso, sou fã do texto dele. Ele entende do jovem.
Perfil dos Personagens
Núcleo de Joana
Joana (Aline Dias) – Jovem gentil, com beleza estonteante e energia contagiante. Mora no Ceará com Agenor, seu padrasto, e Damiana, a mãe dele. Resolve seguir para o Rio de Janeiro, onde será acolhida por Tânia (Deborah Secco). Lá, acaba atraindo o interesse dos irmãos Gabriel (Felipe Roque) e Giovane (Ricardo Vianna).
Agenor (Jackson Antunes) – O padrasto de Joana (Aline Dias) é um homem rude e autoritário. Exige da enteada total submissão e cumprimento de seus valores e padrões de moral e bom costume, mas sofre oposição da jovem.
Damiana (Ilva Niño) – Mãe do padrasto de Joana (Aline Dias). Gosta muito da neta postiça e lamenta o comportamento rude do filho. Sofre com a partida de Joana da cidade e a aconselha a procurar seus prováveis laços familiares no Rio de Janeiro.
Sula (Malu Falangola) – Amiga impulsiva e ingênua de Joana (Aline Dias). Adoraria ser destemida e confiante como a amiga e as heroínas dos romances que lê.
Núcleo de Gabriel
Gabriel (Felipe Roque) – Bonito, atlético e ambicioso, é jogador de vôlei de praia e forma uma dupla promissora com o irmão mais novo, Giovane (Ricardo Vianna). Mora com a mãe, Irene (Louise Cardoso), e namora Barbara (Barbara França). Gabriel e Giovane são patrocinados por Ricardo (Marcos Pasquim) e serão treinados por Caio (Thiago Fragoso).
Giovane (Ricardo Vianna) – Responsável, tímido e dedicado. Acredita que o esporte fará com que ele ganhe autoconfiança. É amigo da descolada Juliana (Giulia Gayoso), sem notar o interesse que ela tem por ele.
Irene (Louise Cardoso)– Animada e otimista, Irene ficou viúva cedo e criou Gabriel e Giovane sozinha. Convive diariamente com Jorjão (Oscar Magrini) durante os treinos na academia Forma.
Núcleo de Ricardo
Ricardo (Marcos Pasquim) – Disciplinador, autoconfiante e autoritário que valoriza a perseverança e o trabalho em equipe. Ex-jogador de vôlei de praia, é dono da academia Forma e pai de Barbara (Barbara França), Juliana (Giulia Gayoso) e Manuela (Milena Melo). Tem uma relação conturbada com Caio (Thiago Fragoso), ex-cunhado e parceiro de jogos.
Barbara (Barbara França) - Linda, ambiciosa e competitiva, é a filha mais velha de César e braço direito do pai na administração da academia Forma. Namora Gabriel (Ricardo Vianna).
Juliana (Giulia Gayoso) – Irreverente, impulsiva e franca a ponto de parecer debochada, é a irmã do meio da família de Ricardo. Preza pela liberdade acima de tudo, garantida por um comportamento rebelde e irresponsável. Estuda no colégio Dom Fernão e é apaixonada por Giovane (Ricardo Vianna).
Manuela (Milena Melo) – Filha caçula de César, esconde seu lado doce por trás de uma atitude sempre firme e de confronto, revelando a grande carência afetiva causada pela morte prematura da mãe. Tem grande afinidade com Caio (Thiago Fragoso) e vive em conflito com o colega de turma Fabio (Caio Manhente)
Caio (Thiago Fragoso) – Determinado e ambicioso, formou uma dupla de vôlei de praia com Ricardo no passado. Adora as sobrinhas Barbara, Juliana e Manuela, apesar de ter uma relação complicada com os pais delas, Ricardo.
Tita (Paula Possani) – Dona de uma empresa de eventos, Tita namora Ricardo (Marcos Pasquim) e usa seus contatos estrategicamente para dar ainda mais prestígio ao empresário.
Núcleo de Tânia
Tânia (Deborah Secco) -  Afetuosa e batalhadora. É mãe solteira de Luiza (Bárbara Maia) e Fábio (Caio Manhente) e começa a trabalhar como recepcionista na academia Forma. Acolhe Joana (Aline Dias), quando ela chega do Ceará.
Luiza (Bárbara Maia) – Sociável, madura e concentrada, é o braço-direito da mãe, Tânia (Deborah Secco), em casa e tenta controlar os impulsos do irmão, Fábio (Caio Manhente) nos conflitos escolares.
Fábio (Caio Manhente)– Filho de Tânia (Deborah Secco). Sofre de déficit de atenção e tem dificuldade de se relacionar com Manuela (Milena Melo), com quem vive brigando.
Núcleo Academia Forma
Jorjão (Oscar Magrini) – Boa praça, “solteirão” e esbanjando saúde prestes a chegar à terceira idade, Jorjão foi preparador de Gabriel (Felipe Roque) e Giovane (Ricardo Vianna) desde o início da carreira deles. É incentivador de Irene (Louise Cardoso) nos treinos na academia e acaba se interessando pela história de Rômulo (Juliano Laham), que sonha ser lutador de boxe.                                                        
Rômulo (Juliano Laham) – Forte e batalhador, Rômulo é órfão e foi moldado pelas dificuldades da vida. Sonha ser lutador de boxe e insiste que Jorjão (Oscar Magrini) vire seu treinador.
Belloto (Sérgio Malheiros) – Bonito e galanteador, é professor de educação física na academia Forma e no colégio Dom Fernão. Vive dando indiretas para Jéssica (Laryssa Ayres).
Jéssica (Laryssa Ayres) – Continua extrovertida e a amiga de sempre. Trabalha na recepção da academia Forma e é irmã de Martinha (Malu Pizzatto). Detesta o jeito expansivo de Belloto.
Nanda (Amanda de Godoi) – Ainda é alegre e espontânea, mas sofre o luto pelo namorado falecido. Melhor amiga de Jéssica.
Núcleo Dom Fernão
Lucas (Bruno Guedes) – Bonito e brincalhão, tem vocação para assuntos da coletividade e senso de justiça. Charmoso, inteligente e simpático, desperta a admiração e o desejo das meninas da escola, menos de Juliana (Giulia Gayoso), com quem vive em conflito.
Martinha (Malu Pizzatto) – É do tipo engajada, sincera e, às vezes, mal-humorada. Irmã de Jéssica (Laryssa Ayres), vive em cabo de guerra com a balança.
Jabá (Fabio Scalon) – Simpático, sedutor e um pouco arrogante. Gosta de impressionar as meninas com seu desempenho no vôlei de praia. É o melhor amigo de Gabriel (Felipe Roque).
Júnior (Matheus Dias) – Bom aluno, tímido e jogador de vôlei, sonha em vencer na vida através do esporte. É filho de Conceição (Zezeh Barbosa).
Conceição (Zezeh Barbosa) – Espirituosa, batalhadora e cheia de energia, é mãe de Júnior (Matheus

Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários :

Postar um comentário

.