“Hell’s Kitchen – Cozinha Sob Pressão” estreia 4ª temporada sob comando da chef Danielle Dahoui, no SBT



Lugar de mulher é onde ela quiser, inclusive na cozinha, é o que anuncia o SBT para a 4ª temporada do reality show “Hell’s Kitchen – Cozinha Sob Pressão”, que se reinventa nesta estreia, agendada para acontecer no sábado, dia 3 de setembro, às 21h30. Entre as principais novidades está a nova apresentadora da atração, a consagrada e respeitada Chef Danielle Dahoui, que passa a ser a primeira mulher a comandar um Hell’s Kitchen no mundo (formato da iTV, o reality show possui versões em 15 países). “Ser a primeira mulher no mundo a comandar esse formato é o que me atraiu. Esse vanguardismo do SBT em estar inovando e me convidar para isso é uma grande honra. Poder mostrar para todas as mulheres que elas podem e são donas de seus destinos”, conta a chef.

Danielle Dahoui revela ainda como se sente com o desafio de estrear na televisão: “Eu estou muito empolgada com tudo. Estou adorando aprender um mundo novo dentro da gastronomia. Eu achei que seria difícil enfrentar as câmeras, mas foi muito mais fácil do que imaginava. Me sinto em casa. Não vejo a hora de acontecer a estreia para ver o resultado do que está acontecendo nas gravações já iniciadas. O programa está muito legal e já está aconteceu de tudo. O importante é que o Hell’s Kitchen, além de mundial, também é tutorial, ou seja, não é bronca pela bronca. Existe um motivo pela bronca acontecer e eu mostro como evitar que aquilo volte a acontecer. Eu acho que além das pessoas se divertirem e se emocionarem, elas também vão aprender muito”.

A nova temporada da atração, que é produzida para o SBT pela FremantleMedia, ganha ainda um novo cenário com decoração remodelada. Além disso, a direção do reality show passa a ser assinada por Ricardo Carmona. Dahoui também comanda dois subchefs que lhe ajudarão a colocar pressão nas duas equipes (Vermelha e Azul), são eles: Zi Saldanha, produtor de grandes eventos gastronômicos, e Gilda Bley, que passou pelo renomado “The Culinary Institute of America – CIA” e é sócia de escola de gastronomia.


A subchefe Gilda Bley, ao lado da Chef Dahoui e do subchefe Zi Saldanha. Crédito: Gabriel Gabe/SBT

A Chef também comenta sobre o que acredita que pode ser o seu diferencial como apresentadora do Hell’s Kitchen: “Eu não consigo ter texto para falar então tudo o que acontecer vai ser verdadeiro e embasado na minha experiência. Eu adoro ensinar e multiplicar. Além de ser um programa de fortes emoções, com muita tensão pelos prazos e tarefas a serem cumpridos dentro da cozinha, não preciso ser grosseira, humilhar ou por alguém para baixo. Acredito que é possível ensinar através do amor, pois aí sim você vê as pessoas crescerem e se transformarem. Quando eu tiver que dar bronca eu darei, mas sem humilhações, apenas com o intuito de fazer que aquela pessoa cresça”.

As novidades continuam e o programa passa a contar com uma semana a mais de duração, que agora será de 15 semanas (antes eram 14 episódios). A seleção dos competidores dessa temporada (10 homens e 10 mulheres, que totalizam 20 participantes, ou seja, quatro a mais que a temporada passada) também foi ainda mais refinada, diversificada e surpreendente. Foram milhares de inscrições no site do SBT vindas de todo o Brasil e um amplo trabalho de seleção até a escolha dos novos participantes.

“Os telespectadores podem esperar de tudo, bem como uma mulher mesmo. Com certeza eu vou ensiná-los com muito carinho, com toda a técnica e tudo o que aprendi nesses 26 anos no ramo da gastronomia e 20 anos como proprietária de sete restaurantes. Mas eu também vou cobrar deles, sempre com muito rigor, pois eu sou comprometida em manter o emprego dos meus colaboradores e em fazer os meus clientes felizes. Se o participante não me escutar, não responder e não der o seu melhor vai conseguir me ver muito brava. Eu acordo de bom humor e vou trabalhar feliz todos os dias, pois amo o que faço, porém, para defender os meus negócios é como defender a minha filha: eu viro uma leoa. Tudo o que acontecer vai depender dos participantes. Os bons com certeza vão crescer e vão gostar muito de trabalhar comigo. Já aqueles que quiserem apenas tirar uma onda vão ter sérios problemas”, adianta a chef Danielle Dahoui.


Chef Dahoui em ação. Crédito: Gabriel Gabe/SBT

E mais, o toque pessoal e feminino da nova apresentadora do “Hell’s Kitchen – Cozinha Sob Pressão” estará muito além do cabelo e maquiagem, pois a Chef Danielle Dahoui também inovará ao usar um dólmã exclusivo e diferente por episódio, todos modelados pela estilista Kiki Bedouret, que é formada pelo Studio Berçot e Esmod em Paris, e com estampas de Adriana Barros. Serão 15 modelos personalizados para a Chef. “A ideia foi minha mesmo. Eu comecei a trabalhar com moda antes da gastronomia. Eu mesma desenho os meus dólmãs, além dos uniformes da minha equipe. Não é porque eu estou na cozinha e que eu sou Chef, que eu não posso estar bonita e bem arrumada. Então como cada dia eu estou de um jeito, eu tive que fazer um dólmã por dia. Convidei a Kiki para me ajudar a criar e desenvolver a modelagem e a Adriana Barros para as estampas”, conta.

Dinâmica:

A cada episódio, cozinheiros profissionais precisam enfrentar um desafio e executar receitas propostas pela experiente Danielle Dahoui. Eles têm de convencer a Chef de que não são nada menos do que excelentes.

Os cozinheiros também servem jantares para 50 pessoas em um restaurante profissional. E é nesse momento em que qualquer erro pode ser fatal: ao final de cada noite, a Chef Danielle Dahoui elimina um dos candidatos.

Na primeira fase da atração, as equipes azul e vermelha disputam entre si os desafios. A partir da metade da temporada, a competição passa a ser individual. O grande vencedor de “Hell’s Kitchen – Cozinha Sob Pressão” leva para casa o valor de R$ 100 mil em barras de ouro.

Perfil:

Sobre a Chef Danielle Dahoui
Pernambucana de origem franco-italiana, viveu em vários lugares do Brasil. Cresceu no Nordeste até os 11 anos, quando se mudou com a mãe e o padrasto para Petrópolis. Foi criada entre costuras e a cozinha das amadas avó e mãe, filhas de italianos que sempre adoraram ter a mesa farta e repleta de família e amigos. Aos 18 anos começou a trabalhar com costura e a fazer festas temáticas em Petrópolis, quando descobriu seu dom de cozinhar, servir e decorar. Conheceu o Pai francês aos 19 anos e o viu poucas vezes antes de falecer, em 2009. Aos 23 anos foi para a França estudar fotografia e aprender tudo sobre gastronomia, mesmo sem falar francês, sem dinheiro, sem conhecer ninguém. Começou lavando louça e foi crescendo rapidamente. Na época, aprendeu na prática pelos bistrôs que trabalhou, passando por todos os setores: cozinha, bar e salão. “Uma super aventura com muitas histórias legais!”, diz ela. Há 20 anos é proprietária do Bistrô Ruella, com três unidades nas zonas Sul e Oeste de São Paulo. Em 2016, Danielle Dahoui foi contratada pelo SBT para ser a primeira mulher no mundo a apresentar uma edição do “Hell’s Kitchen”.



Sobre o subchef Zi Saldanha

O chef Zi Saldanha é natural de Porto Alegre, possui 30 anos e é formado em Turismo com ênfase em Hotelaria. Apaixonado por gastronomia, começou desde cedo, trabalhando em um renomado restaurante em Porto Alegre. Em 2007, foi para Espanha para assumir a cozinha do Hotel Rural Villa Matilde, em Malpartida de Cáceres. De volta ao Brasil, ministra diversos cursos de gastronomia pelo Rio Grande do Sul, presta consultoria para novos restaurantes e atua em eventos sociais e corporativos. Atualmente, possui um food truck, é chef executivo, sócio e responsável pela elaboração da carta do primeiro bar temático de erotismo do Brasil, além de ser proprietário de uma empresa produtora de grandes eventos gastronômicos.

Sobre a subchef Gilda Maria Bley

Gilda é natural de Curitiba, possui 29 anos, formou-se em Direito e fez pós-graduação em Administração de Empresas. Em 2011, ao participar de um curso de Chef de Cuisine descobriu-se em uma nova profissão: a gastronomia. A partir daí, estagiou em alguns dos mais renomados restaurantes de Curitiba e estudou pâtisserie em São Paulo. O interesse e aptidão pelo universo acadêmico levaram Gilda a atuar como Diretora Acadêmica da escola onde se formou e de onde, mais tarde, tornou-se sócia. Com passagem pelo The Culinary Institute of America, Gilda dedica-se à difusão da gastronomia e está em constante busca por novos desafios.


Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários :

Postar um comentário

.